11 de setembro é dia do Cerrado

11 de setembro é dia do Cerrado

6 de setembro de 2017 0 comentários

Confira três sugestões de entrevista sobre o assunto

 

Incêndios põem em risco bioma mais ameaçado do Brasil

Queimadas se intensificam no período de junho a outubro e se tornam preocupação recorrente no Cerrado, o segundo bioma brasileiro mais ameaçado. Nessa época, a maior parte dos incêndios é causado em decorrência de ações humanas e, além de destruir a vegetação e a biodiversidade, também põem em risco a população que sofre com aumento de doenças respiratórias e problemas de infraestrutura.

Para prevenir e combater o fogo, existem estratégias e parcerias que treinam e orientam a população.

A Reserva Natural Serra do Tombador, em Cavalcante (GO), mantida pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, é um exemplo dessas ações. Em 2011 a região teve cerca de 60% de sua área tomada pelo fogo. Com estratégias de prevenção e educação a média de redução das perdas reduziu a cerca de 20% nos últimos cinco anos

Fonte: Leide Takahashi, gerente de projetos ambientais da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza.

CERRADO

 

Primeiro caso de evolução ecológica rápida é reportado em Goiás

A Hidrelétrica da Serra da Mesa, em Goiás, é palco do primeiro caso de evolução rápida em função de ação humana. Pesquisadores descobriram que a lagartixa Gymnodactylus amarali se adaptou, modificando suas características para conseguir sobreviver em um habitat que foi modificado. O réptil desenvolveu uma cabeça maior para poder comer alimentos maiores e assim garantir sua sobrevivência.

O lago criado pela usina hidrelétrica deu origem a diversas ilhas que isolaram as espécies nativas da região. O resultado foi, além da mudança na forma da cabeça da lagartixa, a extinção de várias espécies. Já se sabe que metade das espécies de sapos foram extintas em apenas 3 anos e metade das espécies de lagartixas deixaram de existir em 15 anos na região.

Fonte: Reuber Brandão é membro da Rede de Especialistas de Conservação da Natureza, biólogo e professor da Universidade de Brasília.

LAG

Arara-azul em risco: desmatamento e incêndios no Cerrado ameaçam fauna local

A conservação do habitat de uma espécie está diretamente ligada às chances que ela tem de sobreviver. No caso da arara-azul (Anodorhynchus hyacinthinus), espécie considerada vulnerável pela Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), o desmatamento e os incêndios constantes decorrentes de ações humanas no Cerrado ameaçam a conservação dessa espécie que tem requerimentos de habitat tão específicos e baixa taxa reprodutiva.  Mais do que os esforços feitos para preservar aves como a arara-azul, é preciso garantir que elas tenham um local para se alimentar e se reproduzir.

Fonte: Neiva Guedes, presidente do Instituto Arara Azul e membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza.

ARARA

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.