AMOR AO PRÓXIMO: Munícipe pede doações para família que passa por dificuldades

AMOR AO PRÓXIMO: Munícipe pede doações para família que passa por dificuldades

14 de agosto de 2017 0 comentários

 

jtv_caderno1_pg7_carriola_foto1Na sexta-feira passada, 4, a munícipe Daniele S., de 25 anos, saiu de casa para buscar seu filho na escola, mas retornou tocada pela história de Clélia e sua família, que moram próximo ao Pesqueiro Cabral, no bairro Jardim São Marcos. A simpática Clélia, que não perde o sorriso mesmo frente às dificuldades, contou sua história para a reportagem.

No dia do encontro entre as duas, Daniele conta que esperava seu filho no carro, em frente à EMEI (Escola Municipal de Ensino Infantil) São Marcos, quando viu uma mulher levando caixas de doação em um carrinho de carriola para casa com seu filho. “Fiquei observando por um tempo e resolvi perguntar se ela queria ajuda, pois as caixas estavam pesadas. Com o olhar de uma pessoa simples, de chinelo de dedo e com os pés rachados de tanto andar a pé, me respondeu que sim”.

Conversando com Clélia no caminho, Daniele foi tocada por sua história, suas dificuldades e infindável esperança por dias melhores. Fez, então, uma postagem nas redes sociais fazendo um apelo para que pessoas se sensibilizassem e ajudassem com doações de cestas básicas e roupas.  A repercussão foi grande e até o fechamento desta edição, a publicação já possuía mais de 1,5 mil curtidas e mais de 300 comentários.

“Não gostamos de pedir, mas sei que precisamos”

A reportagem esteve com Clélia e sua família na última quarta-feira para conhecer melhor sua história. Na chácara, onde moram como caseiros, são em cinco: Clélia, Seo Sebastião (seu pai); seu filho Lucas, de 15 anos; o marido Manoel e o pequeno Samuel, de 5 anos.

Como Manoel está desempregado, as contas são fechadas com muito esforço na casa da família. “Meu marido faz alguns bicos, mas não encontra emprego. Nossas coisas estão acabando”, contou à reportagem. Sebastião, de 65 anos, também está em busca de emprego. Apesar das dificuldades, a família mantém a fé em dias melhores.

“Naquele dia eu tinha ido buscar o Samuel na escolinha e as meninas de lá me deram algumas coisas para trazer para casa. Meu pai não gosta muito e eu também não gosto de pedir, mas sei que precisamos”, disse ao JTV.

Uma lição de amor ao próximo

Para Daniele, o encontro foi um aprendizado. “Tenho três filhos. Sei como é batalhar para criar, alimentar, sei que mãe não mede esforços para ver o filho bem. É aquela história: ‘passo frio, mas não deixo meu filho sem blusa, passo fome mas não deixo meu filho sem comer’ entende?”, afirmou.

“Isso me fez abrir os olhos para que eu pudesse rever algumas prioridades na minha vida, pra eu rever e deixar de ser egoísta, deixar de achar que os meus problemas são os maiores do mundo, sendo que não são. Acredito mesmo que isso não passou de uma lição”, confessou à reportagem.

Como doar?

Pela postagem, mais pessoas foram sensibilizadas a doar. A comerciante Débora Marques ofereceu suas duas lojas como pontos de entrega para os alimentos e roupas a serem doados para Clélia, nos endereços Av. Joaquim Alves Corrêa, nº 3503 e Rua Senador Feijó, nº 37, no centro da cidade. “Ainda não conseguimos muita coisa, mas estamos esperançosos”, afirmou Débora.

Quem quiser doar roupas, alimentos, sapatos e cestas básicas para a família pode levar os itens para uma das lojas de Débora durante o horário de funcionamento.

Dona Clélia, quando questionada sobre a repercussão de sua história na internet, afirmou que sequer viu a postagem (pois não usa as redes sociais), mas agradeceu a ação e mobilização das pessoas para ajuda-la. “A fé vai nos segurar e abençoar essas pessoas também. Está difícil para todo mundo, mas se nos ajudarmos fica melhor, não é”, disse, sorrindo.

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.