Rua não é recapeada há mais de 12 anos, afirmam moradores da Francisco Glicério

Rua não é recapeada há mais de 12 anos, afirmam moradores da Francisco Glicério

23 de junho de 2017 0 comentários

A situação precária da via se evidenciou após acidente envolvendo uma motociclista, que se feriu gravemente ao desviar de buracos

Na última quinta-feira, 15, uma motociclista de 31 anos sofreu um acidente ao desviar de um buraco na Rua Francisco Glicério, em Valinhos. A cabeleireira Sirlande Nascimento foi socorrida e levada para a Santa Casa de Valinhos, onde ainda se encontra internada, e sofreu fraturas no maxilar e ferimentos na barriga e pernas.

O problema das péssimas condições das ruas é amplamente divulgado pelos meios de comunicação da cidade e até mesmo da região. A EPTV acompanhou o caso de Sirlande e, para a mídia, o marido da vítima afirmou que a família estuda processar o governo municipal pelo ocorrido. No dia seguinte ao ocorrido a Prefeitura realizou os reparos na via por meio da Operação Tapa-Buracos, entretanto, o procedimento necessário para realmente resolver o problema seria o recapeamento do asfalto da via.

jtv_caderno1_pg5_buracos_glicerio_foto2

A reportagem do Jornal Terceira Visão esteve no local do acidente e conversou com moradores da rua, que afirmaram que a região foi esquecida pela municipalidade quanto aos reparos nas vias há muito tempo.

Dona Anésia, residente da Rua Francisco Glicério há mais de 42 anos e que viu a cabeleireira ser atendida pelas ambulâncias, conta que o local não é recapeado há mais de 12 anos. “Nem me lembro da última vez que refizeram o asfalto. Tapam os buracos de vez em quando, mas recapeamento mesmo faz mais de 12 anos que não fazem”, relatou à reportagem. A informação, preocupante, foi confirmada por um casal de munícipes que moram na mesma rua: também não sabiam informar precisamente a data, mas confirmaram a estimativa da idosa.

Esses números evidenciam apenas um fato: o descaso com as vias da cidade não é problema da atual e recente administração, mas vem também de gestões passadas. Dois mandatos do ex-prefeito Marcos José da Silva e um mandato de Clayton Machado e a Francisco Glicério continua sem ser recapeada.

A reportagem conversou com um técnico em agrimensura de uma empresa que realiza a manutenção das ruas de municípios vizinhos. O especialista afirmou que o prazo útil da malha asfáltica varia e depende de alguns fatores determinantes (o quanto a rua é movimenta, por exemplo). Entretanto, a média de vida útil do asfalto da empresa na qual presta serviços é de 5 anos. Após 12 anos de uso contínuo, certamente, a via estará deteriorada e necessitada de recapeamento.

De acordo com Dona Anésia, os problemas não param por aí. As raízes da árvore em frente à sua casa, na calçada, estão causando ondulações no pavimento e propiciando acidentes. “Há um mês uma idosa tropeçou, caiu e quebrou a perna. Logo levaram ela ao hospital… mas pode acontecer novamente, né?”, contou. Ainda de acordo com a moradora, faz anos que ela e os vizinhos fazem pedidos para que a municipalidade retire a árvore e resolva a questão, mas isso nunca aconteceu. “Eles me dizem que vão vir dar uma olhada, mas nunca vêm”, conclui.

O JTV entrou em contato com a Prefeitura de Valinhos para pedir informações mais precisas sobre o último recapeamento na região e sobre a necessidade de refazer as vias municipais para segurança dos valinhenses, mas até o fechamento desta edição não obteve respostas.

 

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.