GCM de Valinhos detém cinco pessoas por invasão à chácara de militar, na Fonte Mécia

GCM de Valinhos detém cinco pessoas por invasão à chácara de militar, na Fonte Mécia

17 de janeiro de 2018 0 comentários

Vigilância Sanitária de Valinhos faz vistoria no local

 Na noite de segunda-feira (15), equipes da GCM (Guarda Civil Municipal) de Valinhos detiveram cinco indivíduos, entre eles um menor de 17 anos, quando deixavam à chácara de um militar aposentado, que acumulava veículos e outros materiais. Durante 30 anos, ele juntou no local 350 carros velhos. Os invasores foram conduzidos até o distrito policial, onde foram indiciados por invasão de domicílio.

Segundo o subcomandante da GCM Sidnei Aureliano, no momento em que os indivíduos eram averiguados, dois celulares começaram a tocar. “Os guardas civis verificaram que outras pessoas buscavam informações sobre os tipos dos carros e peças, que tinham no local, uma vez que a chácara pertence a um ‘colecionador’ de veículos”, explicou o subcomandante.

 Nos celulares tinham vídeos e fotos de diversas peças, como motores, rodas, baterias, radiadores entre outras. “Todas as peças já estavam acondicionadas e prontas para serem transportadas, apesar de os indivíduos saírem do local sem o material, o que não caracterizou como furto”, acrescentou.

Conduzidos ao distrito policial, foram indiciados por invasão de domicílio e ficaram à disposição da justiça. Os averiguados residem em Vinhedo e tem como profissão mecânicos, fuzileiros e pintores. “Somente um dos maiores de idade possui passagem criminal por receptação”, lembrou o subcomandante.

De acordo com o subcomandante, na manhã de domingo (14) outros dois indivíduos de Campinas foram detidos por guardas civis municipais quando saiam da mesma chácara. Também foram conduzidos ao distrito policial. “Ao serem questionados sobre o que estavam fazendo no local, responderam que estavam dando uma volta no bairro”, finalizou.

Vigilância Sanitária – A chácara pertence a um militar aposentado de 88 anos. Ele comprava os veículos com a intenção de restaurá-los, mas na prática isso nunca ocorreu. O idoso retirava as peças dos veículos e as guardava dentro de casa, uma pequena edícula, onde juntava também latas de cerveja, garrafas, televisores e outros objetos.

Como não tem mais condições de voltar para a casa, pelas condições insalubres e necessidade de cuidados, a família fez a internação dele numa clínica para idosos no município.

Uma assistente social da Prefeitura, que acompanhou o caso no domingo (7) na UPA, acionou a Vigilância Sanitária, que esteve na chácara para vistoria na quinta-feira (11), juntamente com uma sobrinha.

Segundo o diretor da pasta, Francisco de Sousa, será acionada uma equipe da Prefeitura nos próximos dias para a limpeza do local, retirada de resíduos e aplicação de larvicida para eliminação de larvas do mosquito da dengue pela equipe de zoonoses. “O que mais nos preocupa agora é a situação do lixo, insetos, baratas e roedores”, complementou.

Quanto à retirada de veículos e material para reciclagem, que têm valores econômicos, é de responsabilidade da família. Mas para que as sobrinhas possam tomar qualquer atitude é preciso que entrem na justiça para a interdição do idoso.

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.