César Rocha diz que “forças ocultas” queriam seu afastamento

César Rocha diz que “forças ocultas” queriam seu afastamento

19 de agosto de 2016 0 comentários

Sessão da última terça teve ainda bate-boca pela aprovação de projeto que abre concurso público na Câmara

A última sessão legislativa da Câmara de Valinhos, realizada na noite de terça-feira, dia 16, foi marcada pelo retorno do vereador César Rocha. O segundo-secretário da Casa de Leis havia sido cassado pela alegação de transferência de partidos (do PV para o REDE) fora do prazo. Com uma liminar de efeito suspensivo o parlamentar retornou no lugar do suplente, Fabrício Bizarri (PV), que havia sido empossado na última quinta-feira, dia 11 (mais informações sobre o assunto em matéria na página 4).

Retorno

Em seu discurso, César Rocha inflamou os ânimos: “Fomos humilhados, não foi fácil chegar até aqui”. O parlamentar citou a famosa expressão de Jânio Quadros, que virou, desde então, jargão bastante recorrente no discurso político. “Forças ocultas falaram que não voltaríamos, mas eu sabia que acabaríamos voltando”, desabafou. Por sua vez, Israel Scupenaro pediu recapeamento de ruas no Jardim Paraíso e Parque Portugal. O primeiro-secretário também solicitou melhorias no transporte de pacientes do município que precisam fazer hemodiálise.

Abre ou não abre?

Outro fato que marcou a última sessão foi a acalorada discussão para aprovar o projeto de resolução que determina a abertura de concurso público na Câmara. Pedido de vistas foi pedido por Dr. Moysés Abujadi, o que foi votado em plenário que, na maioria, foi contrário à solicitação do médico-vereador.

Em seguida o projeto foi à votação que ficou empatada em oito a oito: Scupenaro, Orestes, Veiga, Léo Godói, Tunico, Giba, Conti e Dr. Pedro Damiano foram a favor da aprovação do projeto que abre o concurso público. Por sua vez, César Rocha, Kiko Beloni, Dinho, Edson Batista, Dr. Moysés, Lorival, Paulo Montero e Popó foram contrários ao projeto.

Moralizada

Com o poder do voto minerva (decisivo), Toloi decidiu favorável ao projeto para a abertura do concurso público. Porém, Dr. Moysés colocou em xeque os trâmites: “Esse processo todo está sendo muito atropelado para fazer o concurso na barra da saia. Tem rolo nisso aí!”, afirmou o vereador do PSD.

Presidente da Casa de Leis, Toloi respondeu: “O projeto está na casa há dois meses, não tenho culpa se o senhor não tempo para ler. Está tudo perfeito no projeto que tem que andar para que o concurso público seja aberto. Esta Casa ficará moralizada”. (Veja mais informações sobre o assunto em matéria na página 4).

 

Questão de ordem!

“Não comparem os políticos daqui (de Valinhos) com os que acabaram com o País” (Lorival)

“Forças ocultas falaram que não voltaríamos, mas eu sabia que acabaríamos voltando” (César Rocha)

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.