Secretária de Planejamento e Meio Ambiente de Valinhos analisa situação e anuncia metas

Secretária de Planejamento e Meio Ambiente de Valinhos analisa situação e anuncia metas

17 de março de 2017 0 comentários

Engenheira civil, Maria Silvia Previtale tem grande base curricular e longa experiência de trabalho na Sanasa para ajudar o município na área urbana e ambiental

Com formação acadêmica em Engenharia Civil pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, pós-graduada em Automação Industrial pela UNICAMP e mestra em Habitação – Planejamento e Tecnologia pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo, Maria Silvia Previtale foi escolhida pelo atual governo para assumir a Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente não só por seu sólido currículo. Ela tem uma vasta experiência na Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A, onde entrou como estagiária em 1988. Lá, desenvolveu várias funções: Desenhista Técnico (dois anos), Controladora de Planejamento e Projetos (dois anos), Engenheira de Planejamento e Projetos (cinco anos), Engenheira de Fiscalização de Obras (15 anos) e finalmente Auditora Interna, por quatro anos. Ao longo deste tempo, integrou ainda ativamente a Comissão de Licitações da Sanasa. Nesta semana Maria Silvia concedeu entrevista ao Jornal Terceira Visão. Confira suas posições sobre a atual situação da Pasta e metas de implementação do Plano Diretor, Lei de Zoneamento, Código de Obras, Código Ambiental.

Qual era a situação de planejamento urbano do município quando você assumiu?

Sofrível, uma vez que não encontramos registros documentais de que a gestão anterior estivesse empenhada em conduzir nossa cidade a um crescimento e desenvolvimento ordenados, de modo a proporcionar melhoria na qualidade de vida, no desenvolvimento econômico, na preservação do meio ambiente natural e construído, assegurando o constante aumento do bem-estar dos valinhenses. Em janeiro de 2017 constatamos 16 mil processos administrativos nesta secretaria, empreendimentos que receberam aprovação e respectivas licenças de obra sem respeitar procedimentos técnicos na análise, um Plano Diretor, Lei de Zoneamento, Código de Obras desatualizados e que não condizem com a realidade do município.

Para este ano, o que os munícipes podem esperar dos serviços desta secretaria nessa área? E a longo prazo, há algum projeto da Secretaria em termos de planejamento urbano e medidas ambientais para a cidade?

Temos como meta apresentar o Plano Diretor, revisar a Lei de Zoneamento, atualizar o Código de Obras, implantar um Código Ambiental, bem como dar celeridade aos serviços prestados, respeitando sempre as normas técnicas envolvidas.

"Temos como meta apresentar o Plano Diretor, revisar a Lei de Zoneamento, atualizar o Código de Obras, implantar um Código Ambiental, todos em sintonia com o futuro der Valinhos", disse a secretária Maria Silvia

“Temos como meta apresentar o Plano Diretor, revisar a Lei de Zoneamento, atualizar o Código de Obras, implantar um Código Ambiental, todos em sintonia com o futuro der Valinhos”, disse a secretária Maria Silvia

E quanto ao meio ambiente, o município convive com problemas crônicos de longa data como a emissão de gases e odores da Gessy Lever, além da extração irregular de areia do Ribeirão Pinheiros. O que a Secretaria pode fazer a respeito?

Na área de Meio Ambiente, a Secretaria tem como meta implantar o Código Ambiental para minimizar a existência de tais problemas. Contamos com servidores concursados, com capacidade técnica reconhecida para identificar e propor medidas técnicas que resolvam ou minimizem tais situações. Cabe ressaltar que, para situações específicas como estas, a responsabilidade de fiscalização é da CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), responsável pelo controle, fiscalização, monitoramento e licenciamento de atividades geradoras de poluição das águas, do ar e do solo. A Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente deverá atuar de forma conjunta.

“Em janeiro de 2017 constatamos 16 mil processos administrativos nesta secretaria, empreendimentos que receberam aprovação e respectivas licenças de obra sem respeitar procedimentos técnicos na análise, um Plano Diretor, Lei de Zoneamento, Código de Obras desatualizados e que não condizem com a realidade do município”

Ainda sobre a área ambiental, a cidade viu o seu verde nos últimos ser substituído desmedidamente por loteamentos e condomínios. Como você vê esta situação e o que se pode fazer para que Valinhos não tenha seu meio ambiente ainda mais violado?

Isso é fato. Essa situação tende a ser revertida com a atualização do Plano Diretor, revisão da Lei de Zoneamento, implantação de um Código Ambiental, bem como prestar os serviços respeitando sempre as normas técnicas pertinentes.

Qual sua posição referente à intenção do mega empreendimento que visa criar um grande condomínio e parque onde hoje é a Fonte Sônia?

Como engenheira de formação, sou favorável ao desenvolvimento. Reconheço que a intenção de implantação de grandes empreendimentos aonde quer que ocorram são sempre motivo de inúmeros questionamentos, porém qualquer decisão deverá sempre estar amparada e respeitar as legislações vigentes e pertinentes.

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.