Polícia Civil abre inquérito para apurar possível crime cibernético na Prefeitura de Valinhos

Polícia Civil abre inquérito para apurar possível crime cibernético na Prefeitura de Valinhos

26 de agosto de 2017 0 comentários

Delegado convocou o diretor de informática para depor e prestar esclarecimentos

Há aproximadamente 60 dias atrás a informática da prefeitura de Valinhos sofreu um “apagão geral”, que persistiu por 10 dias, atingindo várias secretarias do paço municipal, havendo grande perda de dados e arquivos, causando um transtorno muito grande para o bom funcionamento da máquina pública. A secretaria que foi mais prejudicada foi a de Planejamento e Meio Ambiente, que perdeu, em definitivo, praticamente todo o trabalho do prazo de dezembro de 2016 a junho de 2017, gerando um enorme prejuízo para o erário. Além disso, devido a este problema, houve a paralisação de emissão de certidões, fichas de consulta, emissão de documentos, aprovações, retrabalho, etc. Foi possível recuperar uma parte dos arquivos das outras secretarias, mas a pasta do planejamento não teve esse mesmo sucesso.  No começo deste mês de agosto, um novo apagão/ataque ocorreu e, novamente, a secretaria de planejamento foi a mais severamente atacada e prejudicada, que perdurou por mais de 10 dias.

delegado_recortado

O delegado da Polícia Civil Sandro Jonasson, do SIG (Setor de Investigações Gerais) de Valinhos, disse ao JTV que foi instaurado inquérito policial que está em andamento sobre o seu comando (e só sobre o seu comando) garantindo assim que só ele terá acesso aos dados do inquérito. Ele garantiu que já existem averiguados e que tem plena convicção de que houve sim um ato criminoso envolvendo a custódia destes dados e em virtude disso uma investigação policial foi ensejada. “Nós temos o aporte de informes especializados referentes a quais e quantas perícias técnicas será necessárias. Não adianta ter feito o ato e na sequencia ter apagados os dados, existem N maneiras de se alcançar a recuperação desses dados, ou seja, quem teve envolvimento/participação nestes atos será devidamente responsabilizados pela polícia civil de Valinhos”, afirmou o delegado. Segundo o delegado, antigos funcionários comissionados da gestão anterior já o procuraram para tecer argumentações acerca do tema.

Pela suspeita de crime cibernético a administração procurou a delegacia de polícia civil, através do delegado do setor de investigações gerais, que então abriu o inquérito e começará a ouvir as pessoas da área de informática.

O JTV procurou o prefeito Orestes Previtale para falar sobre o assunto e ele lamentou que isso tenha acontecido e que a população tenha sido prejudicada. Ele também informou que comunicou a Associação dos engenheiros e arquitetos de Valinhos sobre o assunto. Disse também que espera que tudo seja esclarecido o mais breve possível.

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.