Vacina pentavalente continua em falta na rede municipal

Vacina pentavalente continua em falta na rede municipal

29 de setembro de 2017 0 comentários

O medicamento não é distribuído pelo Ministério da Saúde como deveria desde agosto por indisponibilidade de estoque

 

A reportagem recebeu uma denúncia anônima na terça-feira, 26, de uma cidadã que havia levado a filha de quatro meses para tomar a segunda dose da vacina pentavalente na UBS Bom Retiro, mais próxima de seu bairro, Ortizes, na semana passada. Lá, foi informada por uma funcionária de que a unidade não possuía a vacina, mas que possivelmente a encontraria na UBS São Bento.

“Na segunda-feira liguei no posto de saúde do São Bento, como me recomendaram, mas me disseram que a vacina só seria ministrada para quem reside no bairro e minha filha não poderia tomar a dose”, contou à reportagem.

Segundo a denunciante, a primeira dose da vacina foi ministrada à filha no município vizinho, Vinhedo, há dois meses, pois Valinhos não possuía o medicamento em nenhum posto de saúde na época. A pentavalente deve ser administrada aos dois, aos quatro e aos seis meses de vida e previne doenças como sarampo, rubéola, difteria, coqueluche, hepatite B, pneumonias, meningite, rotavírus e poliomielite. A substituta da rede particular, a hexavalente, além de cara (cada dose da vacina custa em torno de R$370) também está temporariamente em falta nas clínicas.

 
Entenda o caso
O medicamento, que é fornecido aos municípios pelo Ministério da Saúde, está em defasagem na cidade desde agosto deste ano, quando começou a faltar nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e também nas clínicas particulares de Valinhos. Segundo nota informativa do Ministério da Saúde, esta vacina não foi distribuída aos Estados por indisponibilidade de estoque.

De acordo com a Diretora de Divisão de Vigilância Epidemiológica de Valinhos, Claudia Maria dos Santos Silva, a vacina pentavalente está em falta em 5 UBSs do município (Portugal, Bom Retiro, Paraíso, Jurema e São Marcos).

“A Secretaria da Saúde não sabe quando esta situação irá se normalizar, pois para o abastecimento das UBSs depende dos estoques estaduais e do Ministério da Saúde”, explica a diretora.

Segundo funcionária de uma das clínicas particulares que realiza a vacinação em Valinhos o último recebimento da pentavalente aconteceu há cerca de dois meses e não há previsão para chegada do medicamento na rede particular, uma vez que a distribuição para as clínicas também é feita pelo Estado.

 
Vacina não pode ser negada
De acordo com a Secretaria de Saúde, até às 12h da última terça-feira, 26, os estoques municipais possuíam, no total, 36 doses da vacina, distribuídas entre as cinco Unidades Básicas de Saúde que ainda tinham a pentavalente disponível (UBS Vila Santana tinha três doses, UBS Central seis doses, Imperial/Santo Antonio sete doses, Macuco três doses, Maracanã duas doses, Pinheiros quatro doses, Reforma sete doses e São Bento quatro doses).
Claudia Maria dos Santos Silva reforça que “em caso de falta de vacina em uma Unidade Básica de Saúde o munícipe pode se deslocar para outra em que tenha”.

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.