Valinhos promove novo mutirão de vacinação contra febre amarela neste sábado

Valinhos promove novo mutirão de vacinação contra febre amarela neste sábado

1 de Março de 2018 0 comentários

Oito Unidades de Saúde estarão abertas das 8h às 17h

A Prefeitura de Valinhos promove neste sábado (3) novo mutirão de vacinação contra a febre amarela com o objetivo de ampliar a cobertura vacinal.

Oito Unidades Básicas de Saúde (UBSs) estarão abertas no sábado (3), das 8h às 17h: Jardim Paraíso, Jardim Pinheiros, Vila Santana, Bom Retiro, Reforma Agrária, São Bento do Recreio, Jardim Imperial e Jardim São Marcos. Para se vacinar, é necessário apresentar um documento de identidade com foto, um comprovante de residência ou de vínculo empregatício na cidade e carteira de vacinação (se tiver). No mutirão realizado no último sábado (24), 3 mil pessoas foram vacinadas em quatro UBSs.

O município tem dois casos de morte confirmada por febre amarela e outros seis casos suspeitos. Os registros reforçam a necessidade de a população buscar a imunização, que é gratuita e será feita, por determinação do prefeito Orestes Previtale, sob demanda, sem restrição ou uso de senhas limitadas.

Ainda para ampliar a cobertura de vacinação, nessa quinta e sexta-feira (1º e 2) as UBSs da Vila Santana, Jardim Pinheiros e Jardim Paraíso atenderão em horário ampliado, das 9h às 20h. A partir da semana que vem o cenário será avaliado e, se a demanda for alta, ele pode ser prorrogado. As outras 10 UBS estão vacinando das 9h às 16h.

Outra medida tomada a partir dessa quarta-feira (28) foi a vacinação casa a casa na região do bairro Chácaras Alpinas, onde o primeiro morador de Valinhos (morava no Parque das Colinas) que morreu de febre amarela tinha uma chácara e também foi notificado na terça-feira (27) mais um caso suspeito. É um homem de 41 anos que está internado em estado grave no Hospital das Clínicas da Unicamp com sintomas da doença. A segunda morte por febre amarela é de um morador do Jardim Pinheiros.

Os dois casos confirmados foram contraídos no próprio município, são autóctones. O primeiro é de transmissão silvestre, pelo mosquito Haemagogus ou pelo Sabethes. Já o segundo ainda está em investigação por profissionais das Secretarias de Estado e do Município. A maior chance é de que seja silvestre, já que no entorno da casa da vítima não há moradores com os sintomas da febre amarela (o que seria esperado por conta da transmissão ser feita pelo Aedes aegypti) e a região onde ele vivia está próxima a áreas de mata. Esse estudo pode levar até 30 dias para ser concluído.

Crianças pequenas – No caso de crianças de até 15 meses que estejam com data próxima para vacinação de rotina do calendário, a orientação é para que tomem a vacina da febre amarela e depois de 30 dias procurem uma UBS para retomar a vacinação de rotina.

Idosos – Conforme Nota Técnica do Ministério da Saúde, idosos acima de 60 anos saudáveis, que não tenham doenças que reduzem a imunidade, e que não tenham problemas crônicos de saúde, podem ser vacinados sem avaliação médica. Para isso, é importante que as informações passadas no preenchimento do questionário antes da vacinação sejam confiáveis. Além disso, é importante que seja informado qualquer tipo de medicamento que esteja sendo tomado e qualquer tipo de problema de saúde que a pessoa já tenha tido ou tenha no momento.

Gestantes – A orientação para gestantes é que procurem a UBS mais próxima de suas casas para avaliação, caso a caso, se a vacina será aplicada. A medida vale prioritariamente para as que vivem em áreas consideradas de risco, próximas às residências onde há casos confirmados da doença.

Amamentação – Mães que amamentam bebês com menos de seis meses de vida e que vivem em áreas de risco, próximas às residências onde há casos confirmados da doença, devem paralisar a amamentação por 10 dias para tomar a vacina. Após esse prazo a amamentação pode ser normalizada. Se mora distante da área de risco, essa mãe deve procurar uma unidade de saúde para que o caso seja avaliado.

Nos casos de bebês acima de seis meses, perto ou não de áreas de risco, a mãe deve ser vacinada normalmente, sempre lembrando que elas devem preencher uma ficha antes da imunização com o maior número possível de informações sobre seu estado de saúde e o do bebê.

Cobertura de vacinação – Entre 2000 e 2006, Valinhos vacinou 66 mil pessoas contra a febre amarela. Mas esse número não pode ser simplesmente usado como um dado oficial da cobertura vacinal na cidade, já que muita gente morreu, se mudou ou acabou tomando a vacina novamente em outras campanhas. Além disso, o número ainda pode conter moradores de outras cidades da região. Além dessas 66 mil pessoas, outras 64.369 mil foram imunizadas no Município entre o ano de 2007 e o dia 24 de fevereiro de 2018.

 

Medidas – A Secretaria da Saúde de Valinhos tem adotado uma série de medidas para enfrentamento da febre amarela desde o ano passado. Entre elas:

-Criação de um Grupo de Trabalho com foco exclusivo nas ações de combate à febre amarela na cidade, com aval e carta branca do prefeito para encaminhar o que for preciso para conter a doença.

-Vacinação ampliada contra a febre amarela nas Unidades Básicas da Saúde.

-Campanha de vacinação aos sábados em UBSs que normalmente só funcionam de segunda a sexta-feira.

-Busca ativa de possíveis suspeitos no entorno das residências dos casos suspeitos e confirmados da doença.

-Busca ativa de focos de água parada que podem ser transformar em criadouros de mosquitos que transmitem doenças como febre amarela, dengue, zika e chicungunya.

-Aplicação de inseticida casa a casa em um raio de até 500 metros das residências dos casos confirmados da doença.

-Aplicação noturna de inseticida nas ruas dos bairros onde há casos confirmados.

-Entrega de 30 mil folhetos explicativos sobre a doença e a necessidade de a população ser vacinada.

-Uso de carro de som para informar sobre a vacinação e os trabalho de aplicação de inseticida nos bairros.

-Ajuda de homens do Exército, a pedido do prefeito, nas campanhas de panfletagem, busca ativa e aplicação de inseticida.

-Campanhas em redes sociais e de divulgação para a imprensa, ambas diárias, sobre as ações desenvolvidas pela Prefeitura.

-Campanha em redes sociais com depoimento de médicos conhecidos na cidade falando sobre a importância da vacinação para evitar os riscos da doença.

-Campanha envolvendo líderes religiosos (católicos, evangélicos, espíritas e ligados a candomblé e umbanda) com a divulgação de vídeos orientando os moradores da cidade a tomar a vacina e depois multiplicando essas informações em seus espaços religiosos (igrejas, centros, templos e terreiros).

-Campanha envolvendo a rede educacional de Valinhos, com reuniões e distribuição de material para professores e diretores de escolas municipais com objetivo de que o assunto seja replicado em todas as unidades e com as famílias dos alunos.

-Capacitação e motivação das equipes de profissionais envolvidas em toda a rede de trabalho que se dedica a enfrentar a febre amarela da cidade.

Lixo, entulho e criadouros de mosquitos

A Prefeitura pede que a população faça a sua parte e evite riscos de criadouros de mosquitos com água parada em suas casas. Esses mosquitos transmitem doenças como dengue, zyka e chicungunya, contra as quais não há ainda vacinas disponíveis no mercado. Por isso, é fundamental que as pessoas cuidem de suas casas, suas calçadas e terrenos, e evitem descartar qualquer tipo de lixo em áreas públicas ou privadas que não sejam apropriadas. O número de criadouros de mosquito e de larvas encontrado nas casas visitadas pelos agentes de saúde em 2018 é alarmante e esse quadro precisa mudar.

 SAIBA ONDE SE VACINAR

Endereços e telefones das UBSs:

 

Mutirão de sábado (3), das 8h às 17h

UBS Paraíso: Ruas das Acácias, s/n º. Telefone: 3869-3877/3829-6040

UBS Jardim Pinheiros: Rua Horácio Salles Cunha, 258. Telefone: 3871-2218

UBS da Vila Santana: Avenida Brasil, 144. Telefone: 3829-5686

UBS do Bom Retiro: Estrada dos Ortizes, 16. Telefone: 3871-5364

UBS Reforma Agrária: Núcleo Reforma Agrária, s/nº. Telefone: 3881-2611

UBS São Bento: Rua Itajaí, 70. Telefone: 3869-9443

UBS Jardim Imperial: Rua Campinas, 633. Telefone: 3871-3131

UBS São Marcos: Rua Três, s/nº. Telefone: 3869-2002

 

UBSs horário ampliado quinta e sexta-feira (1 e 2), das 9h às 20h

UBS Vila Santana: Avenida Brasil, 144. Telefone: 3829-5686.

UBS Jardim Pinheiros: Rua Horácio Salles Cunha, 258. Telefone: 3871-2218

UBS Paraíso: Ruas das Acácias, s/n º. Telefone: 3869-3877/3829-6040

 

UBS horário das 9h às 16h

 

UBS Reforma Agrária: Núcleo Reforma Agrária, s/nº. Telefone: 3881-2611

UBS Jardim Imperial: Rua Campinas, 633. Telefone: 3871-3131

UBS do Bom Retiro: Estrada dos Ortizes, 16. Telefone: 3871-5364

UBS Maracanã: Rua Pedro de Lucca, 285. Telefone: 3869-3377

UBS Macuco: Rua Valdemar Lazaretti, s/nº. Telefone: 3881-2336

UBS Central: Rua Silvio Concon, 78. Telefone: 3829-4278

UBS São Marcos: Rua Três, s/nº. Telefone: 3869-2002

UBS Jurema: Rua José Salles Pupo, 71. Telefone: 3869-3222

UBS São Bento: Rua Itajaí, 70. Telefone: 3869-9443

UBS Parque Portugal: R. Abrantes, 550. Telefone: 3849-3634

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.