Verba estadual tira Santa Casa da greve

Verba estadual tira Santa Casa da greve

21 de fevereiro de 2017 0 comentários

Valor de R$ 472 mil que chegou somente na terça pagou funcionários, mas apenas aliviou sufoco que o hospital passa desde o estado de emergência financeira decretado pelo ex-prefeito

Em coletiva convocada na tarde de quinta-feira, dia 16, o superintendente da Santa Casa, Edson Manzano, anunciou um respiro da entidade que ficou sob greve parcial por praticamente um dia. Um valor de R$ 472 mil de verba estadual que caiu na conta do hospital nesta semana aliviou a situação ao pagar funcionários e encerrando a manifestação. “Foi pago o salário líquido integral, mais os benefícios. Médicos ainda não receberam desde o dia 25 de janeiro, mas continuam atendendo”, explicou Manzano que garantiu para hoje o pagamento de pelo menos um terço do valor do salário dos médicos.

“Estamos cumprindo nossa obrigação”

Manzano frisou que o corpo clínico está cumprindo suas obrigações e que em nenhum momento paciente algum deixou de ser atendido mesmo em momentos de greve, e sem receber do Poder Público. A previsão é que o pagamento do próximo salário, dia 6 de março, seja feito pontualmente, quitando também a dívida com os médicos.

Endividada, a Santa Casa está buscando obter a CND (Certidão Negativa de Débitos) para poder estar apta a recebimentos. “O novo governo municipal está trabalhando dentro da Lei. Porém, ninguém faz administração sem recursos e sem repasses lineares. Não podemos mais esperar morosidade e saúde não pode ser tratada assim”, ponderou Manzano. Ele afirmou ainda que o financiamento do SUS é muito baixo e que a subvenção não está funcionando, apontando o contrato fixo como a melhor solução.

Contas não fecham há meses

Ainda segundo o superintendente, esses problemas aconteceram na Santa Casa de Vinhedo e em todo o país. Em Valinhos, ele lamentou a atual condição: “O ex-prefeito deixou R$ 10 milhões para a Santa Casa para este ano. Com esse valor nem eu nem ninguém administra um hospital, pois nossa folha líquida de custos mensais é de R$ 770 mil, chegando a R$ 1.300 milhão no valor bruto. O ideal são R$ 24 milhões por ano”.

O superintendente afirmou estar comprometido com a economia do hospital: “Enxugamos os custos e voltamos a ter o mesmo número de funcionários de 2010, sendo que de lá para cá a população da cidade cresceu 15%”. E concluiu: “Aqui não tem caixa preta. Se alguém quiser fazer auditoria, pode vir”.

Em queda

Recentes valores mensais recebidos pela Santa Casa, segundo superintendente:

Antes de Outubro/16: R$ 1.971.000

Outubro/16: R$ 1.275.000

Novembro/16: R$ 1.338.000

Dezembro/16: R$ 400.000

Janeiro/17: 0

2 de Fevereiro/17: R$ 225 mil

14 de Fevereiro/17: R$ 472 mil

15 de Fevereiro/17: R$ 225 mil

Palavra do sindicato

Segundo Leide Mengatti, presidente do Sinsaúde, o retorno ao trabalho aconteceu às 13h de quinta-feira, após pagamento integral dos salários e garantia de estabilidade de 90 dias. Objetivo era o recebimento do direito e a normalidade do atendimento à população.

 

Nenhum comentário até o momento

Ir para uma conversa

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a iniciar uma conversa.

Seus dados estarão seguros!O seu endereço de e-mail não será publicado. Também outros dados não serão compartilhados com terceiros.