Banheiros do Instituto de Geociências (IG) e Biblioteca do Instituto de Estudos de Linguagem (IEL) foram os principais alvos

A Biblioteca Antônio Cândido, do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) amanheceu pichada nesta quarta-feira, 15 de agosto. Uma pessoa entrou no prédio durante a noite de terça e “marcou”, com caneta marcador permanente, símbolos de suásticas e mensagens como “Vai ter massacre #Columbine”. Fazendo referência ao massacre da escola Columbine de 1999 nos EUA, que deixou 13 mortos e mais de 20 feridos.

A direção do IEL informou por meio de comunicado oficial em sua página, que já tem imagens de segurança que identificam o rosto do responsável. “Todas as providências administrativas, jurídicas e policiais estão sendo tomadas para identificar e processar o autor desse ato criminoso”, diz a nota. A biblioteca vai permanecer fechada até a conclusão da perícia.

O assunto teve uma repercussão muito grande dentro da comunidade universitária e assustou muita gente. Estudantes da Unicamp publicaram mensagens na manhã desta quarta, falando sobre o assunto. “Invadiram a biblioteca do IEL/Unicamp para pichar símbolos nazistas, mensagens racistas e ameaças de massacres. a que ponto chegou o ódio e o ressentimento. não sei nem o que dizer…”, dizia um dos comentários nas redes sociais.

Os banheiros do IG (Instituto de Geociências) também amanheceram pichados, com mensagens como “Vai ter chacina”. Em nota, a Unicamp informou já ter solicitado a remoção das pichações. A Unicamp informou que as duas unidades já abriram sindicância para apurar o caso e deve registrar boletim de ocorrência junto à Polícia Civil. “A vigilância está analisando imagens do circuito interno de câmeras para tentar identificar o autor das pichações”, diz a nota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA