Confira entrevista com artista dos palcos, Claudia Strazza, que conta um pouco mais da sua profissão e das artes cênicas

Por Alef Gabriel

Em comemoração ao Dia do Artista de Teatro no domingo, 19 de agosto, conversamos com Claudia Strazza, atriz profissional há 10 anos que conta um pouco mais da sua vida nos palcos, sua interação com público, sua rotina e como é ser artista de teatro nos dias de hoje.

Como e onde começou sua jornada no teatro? Como se apaixonou pelo palco e como foi o início da sua jornada?

Eu não me lembro exatamente quando comecei a me interessar por teatro e o que levou a isso, mas desde criança quando estava na escola eu já tinha esse interesse, procurava participar das peças e dos cursos que tinha, inventava peças de teatro com minhas amigas. Quando eu tinha uns 15 anos decidi que gostaria de voltar a fazer isso e pedi para minha mãe me colocar em um curso livre de teatro. Lá eu aprendi o que de fato é o teatro e ser ator, me apaixonei não só por estar no palco, mas por todo universo teatral, pelo estudo e trabalho prévio que isso demanda.

Há quanto tempo é atriz? Qual sua formação no teatro?

Sou atriz há 10 anos. Sou formada no curso profissionalizante em artes dramáticas, fiz cursos de especialização e fiz parte de um grupo de pesquisa teatral. De acordo com a demanda algumas produtoras e companhias me chamam para realizar apresentações e/ou turnês, mas atualmente não trabalho de forma fixa para nenhuma delas.

Como foi a escolha de ser atriz? Foi algo pensado/planejado? Era uma vontade antiga? Sua família apoiou?

Para mim foi planejado, eu sempre quis ser atriz, então sempre procurei tentar fazer com que isso desse certo na medida do possível. Minha família me apoiou bastante no início e apoia de certa forma até hoje, mas eles claramente prefeririam que eu tivesse uma profissão “convencional”.

 Como é o seu dia a dia na profissão? Existe uma rotina? Viagens?

Existe e ao mesmo tempo não existe. E também depende muito do tipo que trabalho que você está fazendo no momento. Antes da apresentação existe toda uma preparação com ensaios, pesquisa e produção, isso pode levar apenas alguns dias, como também para outros trabalhos pode levar meses ou anos. Quando a peça já está em cartaz, fazendo turnê ou temporada, é quando existe uma rotina mais específica. Nós viajamos até o local, realizamos as apresentações, viajamos para o próximo local. Isso pode ser um pouco maçante, já que às vezes são vários meses de estrada e apresentando a mesma peça duas vezes por dia.

Quais os pontos positivos de trabalhar nos palcos?

O ponto positivo é saber que você está a bordo de um veículo que é capaz de educar, divertir as pessoas e você pode ter um contato direto com o resultado dessas reflexões e ensinamentos. É ver o encantamento no olhar de uma pessoa de uma cidadezinha pequena no meio do nada que nunca tinha visto um espetáculo teatral. Além disso, trabalhar com teatro me proporciona conhecer e ter contato com pessoas de vários lugares que eu nunca teria acesso se não fosse por isso, essas coisas mudam sua visão a respeito do país e do mundo e certamente te fazem crescer como pessoa.

E quais os obstáculos/desafios ainda enfrentados nessa profissão?

Embora ainda existam várias leis de incentivo para que os espetáculos sejam produzidos, eu diria que é muito difícil para a maioria das companhias fazerem seus projetos acontecerem e terem verba para isso. Outro obstáculo é conseguir fazer a profissão do ator ser levada a sério, já que até mesmo dentro do meio teatral o profissional muitas vezes não é tratado como tal, muitas vezes não há um contrato de trabalho, o piso salarial também não é seguido e nada podemos fazer a respeito. Eu acredito que um dos desafios seja o público, já não há uma popularização do teatro, poucas pessoas assistem peças regularmente e a grande massa não tem acesso a isso.

Como é sua relação com o público de modo geral?

Eu gosto de depois das apresentações ter contato com quem assistiu, é sempre ótimo ter um retorno e saber de que modo você atingiu aquelas pessoas. É engraçado que muitas vezes acontece de pessoas comentarem coisas que nunca tinha passado pela sua cabeça antes e isso com certeza é agregado ao trabalho.

O que você pensa quando está em cena apresentando? Existe nervosismo ou timidez?

Timidez não. O nervosismo ele sempre está lá de alguma forma já que você nunca sabe o que pode acontecer, como o público vai reagir, mas ele é maior nas primeiras apresentações, quando você ainda não teve feedback nenhum do público. Quando eu estou no palco eu sou muito concentrada naquilo que estou fazendo, então eu sempre estou pensando sobre a cena.

O que você diria para alguém que sente uma forte conexão com o teatro, que pensa em seguir carreira como artista nos palcos?

Acho que o primeiro passo é procurar um curso, começar a estudar e entender todas as possibilidades que o teatro te dá. Eu diria que é uma carreira muito difícil, que vai exigir muito do seu tempo e dedicação, mas que não é impossível. Se você realmente gosta, vai em frente, se profissionalize, estude e tenha paciência nos momentos difíceis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA