Secretário fala sobre saída do Rigesa; regularização dos ambulantes e impacto da redução dos salários de funcionários públicos e comissionados

Por Alef Gabriel

Com intuito de ilustrar um panorama atual da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, entrevistamos Rodrigo Fagnani, mais conhecido como Popó e atual Secretario da pasta, que assumiu a direção deste departamento em 23 de abril desse ano. Ele começa dizendo sobre sua visão otimista e positiva sobre o setor atualmente, com Valinhos estando em uma região estratégica de desenvolvimento, como a proximidade ao aeroporto, acesso as três rodovias mais importantes do Estado (pela Magalhães Teixeira), isso tudo coloca a cidade como atração para o desenvolvimento econômico, além da proximidade com faculdades de alto nível elevando a qualidade de mão de obra atraindo olhares de indústrias para se instalarem em Valinhos. Popó também destaca o PAT de Valinhos, pelo seu atendimento e habilidade de reinserir pessoas no mercado de trabalho, todos esses dados são alguns dos pontos que fazem com que a secretária olhe com positividade para este departamento.

Nesses quatros meses a frente da pasta, Popó afirma que já conseguiu realizar alguns planos e projetos de melhoria. Ele conta que ao assumir a gestão, se deparou com trabalhos já iniciados, mas também com espaço para começar novos projetos. “Nesse tempo, avançamos muito nas emendas parlamentares, que estavam todas paradas, são quase oito milhões de emendas que destravamos, seja na área de recapeamento (massa asfáltica), seja na retomada de construções (piscina), seja na questão de creches (como a do Palmares), no centro de treinamento de força e de artes marciais, são todas emendas que estavam paradas em alguns Ministérios do Governo Federal ou do Estado e conseguimos com essa interlocução política alcançar o seu destino”, pontua o secretário.

Na parte de agricultura, a regulamentação da feira do ‘Quarta é feira’, existe também um plano de valorização da feira de sábado do Parque Municipal, foi retomado o Grupo de Trabalho para regularização dos ambulantes, a viabilização da implantação do ‘Via Rápida Empresa’ (coleta de dados para registro empresarial, consulta prévia de viabilidade de localização e licenças para o exercício de atividades econômicas), também foi feito o programa junto ao PAT ‘Time do Emprego’, entre outros projetos que foram capazes de andar nesses mais de 100 dias de gestão do Secretário.

Popó comenta que sua transição de Vereador a Secretário de Desenvolvimento Econômico, é mais uma extensão da sua jornada como trabalhador a serviço da população. Ele diz que muitos podem pensar que foi por conta do retorno financeiro, mas que não se trata disso. É pela ideologia de querer sempre buscar um município melhor e mais desenvolvido. Ainda com sua bagagem como Vereador e advogado, Popó acredita que só tem a somar para a municipalidade, podendo realizar avanços para Valinhos ainda mais efetivos agora dispondo dos poderes municipais a frente de uma secretaria e com conhecimento do legislativo previamente adquirido.

Quando questionado sobre a saída da WestRock Brazil, antiga Rigesa,  (estimada para julho de 2019), Popó afirma que em questões tributárias é uma perda muito grande (sobretudo do ICMS), a empresa é a segunda maior do município em termos de valor adicionado, porém todo valor agregado até sua saída retorna para Valinhos em dois anos, isto é, saindo em 2019, a receita voltará para a cidade em 2021 aproximadamente, nesse meio tempo a secretaria trabalha com projeto Plano Diretor para diagnosticar pontos de vocação em Valinhos para que possa ter uma recomposição industrial. Outra ideia de projeto é transformar a área da antiga Rigesa em um centro de incentivo industrial e tecnologia.

Outro ponto levantado foi a regularização dos ambulantes na cidade, o Secretário conta que essa situação é conduzida por um Grupo de Trabalho, que possui representantes de diversas secretarias, e está sendo gerido pelo chefe de gabinete do Prefeito, Carlos Tosto. Esse grupo de trabalho avançou no mapeamento de ambulantes que já possuem sua licença (vencida ou não), ou com ramo diferente. Agora começa um processo de chamamento (desses ambulantes) para que levem documentos e protocolem comprovando a área em que atuam e o produto comercializado, e assim com essa listagem a municipalidade irá ver caso a caso, expedir a licença, regularizar essa situação e consolidar esses pontos. Porque ainda segundo a secretaria, esses pontos da cidade que são utilizados para essas vendas, serão cobrados por metro quadrado pela municipalidade e assim restarão pontos em aberto para criar uma licitação e comissão dos ambulantes. Mas antes a prioridade é realizar esse cadastro prévio dos que já atuam na cidade, para que também possa haver harmonia entre essa classe e os comerciantes do município. É um trabalho minucioso e demorado, até porque segundo Popó, existem poucos fiscais que fazem essa polícia administrativa e é um número reduzido nas secretarias.

Um assunto comentado na entrevista, foi o fato da redução dos salários dos funcionários públicos com a retirada do “adicional estímulo”, como essa alteração poderia impactar no comércio. Segundo Popó, “De fato há um impacto, porque de certa maneira isso não é mais um adicional e sim de natureza alimentar e irá impactar no comércio local obviamente, ficamos realmente muito tristes porque as decisões judiciais tem sua impessoalidade e não vem como famílias e isso aí vai ter um impacto com certeza, esperamos que seja minimizado com algumas ações da administração fazendo o possível (dentro do orçamento) para que as perdas sejam minimizadas”, explica o secretário.

Outro ponto em pauta, é a proposta de reforma tributária apresentada pelo Prefeito, referente à majoração de tributos aos comerciantes, como aumento de IPTU. Questionando como essas mudanças de tarifas podem mexer com o comércio atual de Valinhos. O Secretário comenta, “Esse processo de reformulação tributária não passou pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, tomei conhecimento desse processo quando ele já estava protocolado na Câmara Municipal de Vereadores. Nós estamos buscando informações e estudando o processo, para criar algumas alternativas e sugerir a Secretaria da Fazenda (responsável pelo envio desse processo) que possa ouvir também nossa Secretaria através dessa interlocução que temos com comerciantes e empresários, e que também leve em consideração nossa posição de tentar minimizar o impacto ao máximo para essas pessoas que já tem uma carga tributária elevada, e que a cada mudança acaba tendo seu impacto negativo e nós não queremos de jeito nenhum negócios fechando por conta de código tributário”, finaliza Popó.

Para o futuro, o Secretário destaca que um dos planos é monitorar a atração de novas empresas. “Recentemente fizemos um dialogo com a empresa Trio, mostramos a importância da cidade dentro de uma região metropolitana, foi um dos fatores que fizeram eles saírem de Sorocaba e virem para Valinhos, e vai abrir alguns novos postos de trabalho”. Outro projeto é iniciar um circuito de palestras e rodas de negócio para estimular um networking dentro de Valinhos para que os empresários se conectem e se conheçam fortalecendo a economia da cidade. Outro desafio esperado é trazer uma ETEC ou FATEC para Valinhos, que será um grande avanço para o desenvolvimento econômico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here