Convênio encerrado há dois anos ainda não foi restabelecido pela Prefeitura

Você já se imaginou morar em um bairro onde existe o encontro de duas cidades e não saber a qual pertence? Pois é isso que enfrentam diariamente os moradores do Vale Verde, que possuem do que é chamado de propriedades em áreas limítrofes e que deixa os munícipes do local confusos quando precisam reivindicar ou recorrer a algum serviço público. Em conversa, estes levantaram alguns pontos importantes de irregularidades que a população têm passado. A moradora Marlene Rolsing, fala sobre a sua luta para conseguir melhorias para o local, embora haja um impasse muito grande de divisão de municípios dentro do próprio bairro. Ela fala que existem ruas com residências de IPTU correspondentes à cidade de Valinhos e (do outro lado) residências correspondentes à cidade de Vinhedo.

A confusão não para por aí, a moradora conta, por exemplo, como são dividas as contas de serviços no seu caso, ficando o débito do IPTU para a cidade de Vinhedo, porém serviços como água, energia, internet, são cobrados pelo munícipio de Valinhos. Você pode até estar se perguntando se isso acarreta em maiores problemas além de duas cidades para diferentes serviços e a resposta é sim. Como seria pedir uma ambulância em um local assim? Ou ronda policial? Quem deveria fazer essa ronda? São muitos questionamentos para poucas soluções apresentadas, contam os moradores. Tanto é que a própria população tem que criar medidas paliativas para suprir a necessidade, como a contratação de segurança particular.

José Ângelo Santinon da Associação Residencial do Vale Verde, grupo a frente de questões da região, conta que na gestão da municipalidade anterior, existia um convênio entre as duas prefeituras (Valinhos e Vinhedo) e esta funcionava tentando achar equilíbrio e respaldo para a população que se encontra nessa situação confusa e complicada entre dois municípios, porém esse convênio não existe mais,  desde que Orestes Previtale assumiu a Prefeito, este apoio não foi retomado até o momento.

Procuramos o vereador Alécio Cau que realizou uma moção (Nº 56/2018) em abril deste ano, que visava renovar a união dos poderes das duas prefeituras, em prol do bairro afetado. Como está no documento, “Termo de Convênio entre os dois municípios de Valinhos e de Vinhedo, visando a solução de problemas comuns que envolvem obras de melhoria na divisa tributária entre os dois municípios”. E até o momento não houve resposta para tal moção. Este convênio (Nº 0013/2011) foi feito em agosto de 2011, com prazo de duração de cinco anos, encerrado em agosto de 2016 e não renovado.

Dentro desse convênio existe benfeitorias previstas para obras como abertura de vias, pavimentação asfáltica, galerias de águas pluviais, iluminação pública, rede de água e abastecimento, rede de coleta de esgotos, captação de recursos hídricos, prestação de coleta de lixo domiciliar, coleta de material reciclável, fornecimento de água potável e esgoto sanitário, entre outras melhorias. Procuramos a Prefeitura de Valinhos, mas esta até o fechamento dessa edição não respondeu aos questionamentos feitos por essa reportagem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA