Placas informativas sobre os trabalhos de desassoreamento no CLT

Através de parceria com PMV, procedimento será realizado pelo DAEE

Por Thaís Ferrari

Em cerimônia oficial realizada na segunda-feira (15), o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) iniciou o processo de limpeza da lagoa do CLT (Centro de Lazer do Trabalhador) Ayrton Senna da Silva. O desassoreamento é fruto de uma parceria entre a Prefeitura Municipal e o Governo do Estado de São Paulo, com investimento de R$ 1 milhão e prazo para finalização em até quatro meses.

As máquinas removerão 27 mil m³ de resíduos que estão acumulados no fundo da lagoa, possibilitando ampliação de 50% da capacidade de armazenamento de água, um aumento de 70 milhões de litros para 105 milhões. Além do DAEE, o Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (DAEV) e a Secretaria de Obras e Serviços Públicos estão incluídos no procedimento.

Em contato com a assessoria do DAEE, neste primeiro momento serão utilizados três caminhões de aproximadamente 15 m³. O percurso percorrido pelos veículos será de 2 km até o ponto de descarte, na Cerâmica Capuava LTDA, localizada na Rod. Flávio de Carvalho. No entanto, de acordo com informações do DAEV, “os resíduos serão retirados e armazenados na Estação de Tratamento de Esgoto Capuava”, e ainda que os caminhões vão transitar pelas vias públicas, nas “ruas que não estiverem interditadas”.

O material que será retirado da lagoa é basicamente composto por areia e silte (partículas mais finas que o grão de areia). Dessa maneira, segundo o DAEE, os resíduos não podem ser usados na construção civil. Em nota da Prefeitura, os sedimentos vão passar por um processo de secagem e posteriormente serão reutilizados, “provavelmente em aterros pela cidade”.

Sobre as árvores que foram derrubadas e retiradas do parque, a assessoria de imprensa da PMV, em nome da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, explica que será feita uma ampliação da Rua Vereador Walter Obmer Woelzke, para permitir o acesso dos caminhões à lagoa, viabilizando as obras. “Também para melhorar o trânsito na via, inclusive de ônibus de transporte público, que circulam pelo local. A retirada estava prevista no projeto e a contrapartida é o plantio de 224 mudas de árvores no próprio CLT e em outros locais de Valinhos”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA