Terapeutas utilizam radiestesia genética para tratar com ciência milenar problemas emocionais, físicos ou energéticos

Por Alef Gabriel

O evento que acontecerá na segunda-feira, 17 de dezembro, das 9h às 17h, oferece sessões e atendimento completo da técnica de Radiestesia Genética em troca de doações de cestas básicas que serão encaminhadas para o Recanto dos Velhinhos de Valinhos. O local escolhido foi o espaço Somos Todos Um, na Rua Anibal Lélis de Miranda, 96 e contará com cerca de 5 terapeutas radiestesistas formados que realizarão atendimento simultâneo para aqueles que quiserem conhecer a terapia e participar do evento solidário, é importante agendar sua sessão pelo Whatsapp (19) 991797749, vagas limitadas.

Para aqueles que não conhecem a Radiestesia Genética (conhecida também como Radgen) conversamos com a terapeuta Adriana Maior, voluntária no evento, que explica como funciona essa terapia, “A Radiestesia Genética é uma técnica mentalista, as pessoas acham que tudo que trata de energia tem a ver com espiritualidade, mas não é isso, é uma ciência baseada na telepatia. A telepatia é uma intercomunicação mental, a nossa técnica vai direto ao subconsciente onde não tem as barreiras do nosso racional”.

O radiestesista é treinado para através da telepatia se conectar com o paciente e conseguir interpretar o que tem lá dentro e solucionar o que muitas vezes a pessoa não consegue resolver, como por exemplo, uma enxaqueca, que depois de muitos tratamentos não foi curada ou não sabe o motivo de tantas dores de cabeça, a técnica Radgen consegue ir à raiz do problema e tratar, podendo ser algo emocional, ou até algum objeto ou hábito que faz com que essas dores apareçam, conta Adriana.

A técnica foi criada pela brasileira Patrícia Bortone, utiliza-se o pêndulo como instrumento para a identificação de desequilíbrios no campo físico, mental, emocional e energético. É uma técnica totalmente mentalista, que acessa informações subconscientes e trata através de gráficos de ondas de forma. A base da Radiestesia é a Telepatia, que já foi reconhecida como ciência nos EUA, onde o terapeuta, após treino com muita disciplina e respeito, torna-se uma “antena de captação das mais variadas frequências de energia”.

“Quando vamos ao subconsciente, acessamos informações que jamais a pessoa iria saber, então é certeiro. Quando uma pessoa procura um radiestesista genético ela acha que vai acontecer uma coisa, mas acaba acontecendo muitas outras coisas porque a gente vai desvendando coisas dentro do cérebro da pessoa e usamos o pêndulo para identificar e sinalizar o que está acontecendo e gráficos, que são papéis, uma técnica própria e personalizada, onde usamos apenas os papeis para tratar”, explica a terapeuta que trabalha com essa técnica há cinco anos.

Normalmente esse tratamento é muito rápido e eficiente, conta Adriana, as bases desse atendimento têm mais de 40 anos de existência e já existe na região de Valinhos muitos profissionais capacitados que realizaram o curso e muitos já atuam. Ela também fala que todo ano planeja um evento de caráter beneficente e esse ano convidou outros cinco profissionais da região, formados em radiestesia genética para atenderem nesta data solidária no dia 17.

“Estaremos em cinco aproximadamente, recebendo o dia todo, pessoas que queiram conhecer a técnica e serem tratadas, ofereceremos um tratamento inteiro para as pessoas, nós vamos oferecer gratuitamente, e em troca pedimos uma cesta básica alimentar que será revertido para o Recanto de Velhinhos de Valinhos. O tratamento é completo, no campo mental, campo físico, campo emocional e campo espiritual”, completa Adriana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA