O sociólogo Leonardo Pinho tomou posse nesta segunda-feira (10), como Presidente do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH), em Brasília

Léo Pinho, como é conhecido, é representante da sociedade civil através da UNISOL Brasil (Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários) e foi eleito pelo Plenário do Conselho para ocupar o posto como Presidente no mandato que vai de 2018 a 2020. Dividirá os trabalhos com a Mesa Diretora composta de forma paritária por membros do poder público e da sociedade civil.
Léo terá entre suas funções a fiscalização e o monitoramento das políticas públicas de direitos humanos e o Programa Nacional de Direitos Humanos, possibilitando o exercício constante de diálogo com entidades públicas e privadas em todas as esferas nacionais e internacionais e, em especial, atenção voltada às áreas de maior ocorrência de violações desses direitos.
O Brasil figura entre as nações com os mais graves retrocessos na área de direitos humanos. Por dia são registrados no país uma média de 400 denúncias de violações, um aumento em torno de 7% ao ano, segundo dados de 2017 divulgados pela Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos. Seguindo a mesma projeção, 2018 contabilizará um saldo de extrema apreensão para uma parcela da população mais vulnerável e com maior ocorrência desse tipo de registro, que são os idosos, crianças, deficientes, homossexuais e violência doméstica contra mulheres. Recentemente reapareceu nesta lista questões como o combate ao trabalho análogo ao escravo e em situações incompatíveis com a dignidade humana.

Herbert Barros, Fabiana Severo, Leandro Scalabrin, Deborah Duprat, Sandra Fagundes E Leonardo Pinho

São demandas que trarão à nova mesa eleita um imenso desafio, pois, somam-se a elas as mudanças anunciadas pelo novo governo, onde o Ministério dos Direitos Humanos passa a ser uma pasta que se unirá ao Ministério das Mulheres e ao recente criado Ministério da Família.
Em razão de sua nova função à frente do Conselho Nacional dos Direitos Humanos, Léo Pinho apresentou pedido de afastamento da presidência do Partido dos Trabalhadores (PT) de Valinhos.
Nosso país passa a contar com um nome de grande capacidade técnica e de articulação, pois Léo Pinho, além de presidente eleito do Conselho Nacional dos Direitos Humanos – CNDH, já acumula experiências no Conselho como membro representante da sociedade civil no antigo mandato. Exerce os cargos de Presidente da Central de Cooperativas UNISOL Brasil, de Vice Presidente da Associação Brasileira de Saúde Mental – ABRASME e de Presidente da ANC – Associação de Agricultura Natural de Campinas e Regiao.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA