Foto Reprodução

Tia de uma das crianças envolvidas publicou insatisfação nas redes sociais

A Escola Municipal de Educação Básica Governador Franco Montoro registra nesse ano quatro casos de picadas de marimbondo nos alunos. A tia de uma das crianças envolvidas publicou seu aborrecimento em um grupo da cidade no Facebook, cobrando um posicionamento do prefeito Orestes Previtale.

O post de 30 de novembro diz: “UM MINUTO DE ATENÇÃO AQUI SENHOR Orestes Previtale. Na escola Franco Montoro, no Jardim Bom Retiro, já foram 5 casos de picadas de marimbondos, incluindo meu sobrinho que é alérgico e está com o rosto inchado desde terça-feira! Os bombeiros foram acionados e se prontificaram de retirar os enxames, porém atrás da escola encontra-se uma mata, que ninguém sabe dizer se é ou não particular, que também tem enxames de marimbondos! Porém ao lado da escola, temos outra escolinha infantil, ao qual a minha própria filha estuda, que é super alérgica a picadas, junto com outras crianças… A pergunta é: Qual será a medida tomada, ou quantas crianças a mais serão picadas para solucionar esse problema de vez???! Estou aguardando sua resposta, porque não vou ficar ligando na Prefeitura para ficar sem respostas… Agradeço a atenção!!!!”

Em contato com a assessoria de imprensa oficial, informaram que a direção da escola comunicou o Departamento Municipal de Zoonoses, que encaminhou uma equipe ao local. “A equipe fez uma ampla vistoria e não localizou nenhuma caixa de marimbondo nas dependências da escola. Segundo a Zoonoses, os insetos vêm da mata próxima. Uma nova vistoria será feita pela Zoonoses na mata para verificar medidas a serem adotadas. A diretoria da unidade informou que no ano passado foi feita uma minuciosa limpeza no telhado, pelo Corpo de Bombeiros, para a eliminação de caixas de marimbondos, e que inspeções no telhado ocorrem regularmente. Ainda segundo a diretoria, alunos com alergias a picadas de insetos são monitorados constantemente.”.

Sobre a mata que se encontra próxima à EMEB, a municipalidade afirma ser área de mata ciliar, definida como local de proteção ambiental pela legislação, pela proximidade do Ribeirão Pinheiros. Por conta disso, não pode ser manipulada. Porém, o terreno é particular. “O proprietário já foi acionado mais de uma vez sobre os marimbondos”. Por fim, dizem que na tarde de quinta-feira (6), homens do Corpo de Bombeiros estarão novamente na escola para uma nova vistoria no telhado em busca de caixas de marimbondo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA