Professor Luiz Carlos Allegretti na Escola SENAI de Valinhos (Foto Reprodução)

Foram 26 anos em Campinas e 16 anos na escola de Valinhos

Por Thaís Ferrari

O professor Luiz Carlos Allegretti desligou-se da diretoria da escola SENAI de Valinhos no último dia 03 de dezembro. Foram mais de 42 anos de história no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial. São exatamente 42 anos e quatro meses, destes 22 como Agente de Treinamento, na Escola Roberto Mange, 04 como Coordenador Pedagógico e 16 como Diretor na escola do município. Em texto de despedida, Allegretti reconhece seu grande amor pela instituição, o orgulho de ter feito parte e a oportunidade muito bem aproveitada. “Tive a preocupação de me reunir com todos, agradecer a todos, inclusive terceirizados. Saí com o dever cumprido e comprido.”. De acordo com ele, ainda não há previsão de quando e nem de quem seja seu sucessor, e a escolha é do SENAI – SP, “pode ser que fique alguém na região e faça gestão compartilhada”.

(Foto Reprodução)

Singer – primeira grande oportunidade

Antes de ingressar no SENAI, Allegretti trabalhou na Singer, de máquinas de costura, empresa que ele considera sua escola, em que teve a oportunidade de fazer faculdade (formação na FAAP – Fundação Armando Alvares Penteado), e iniciar na área da gestão e da educação. “Eu saí de lá como supervisor de treinamento, e foi aí que chamou a atenção do SENAI, fui convidado para trabalhar”.

Escola SENAI “Roberto Mange” – Campinas

A primeira experiência de Allegretti no SENAI, na escola Roberto Mange em Campinas, foi um trabalho de relacionamento com empresas, prospecção, em que levantava demandas e organizava programas de treinamentos de acordo com as particularidades existentes, em prol de sanar uma deficiência de desempenho de uma ou mais pessoas. Conduzia as ações em uma região bastante ampla, de Valinhos a São João da Boa Vista. Durante esse tempo, pôde dar início e liderar a organização de duas escolas na região de abrangência do SENAI de Campinas, os Centros de Treinamento, em Sumaré e em Paulínia. Foram 26 anos nessa primeira escola.

Escola SENAI de Valinhos – um novo desafio

Em maio de 1999 deslocaram Allegretti para Valinhos, com a proposta de que ele ocupasse a diretoria. Anteriormente, desde sua implantação – em 1976, a escola de Valinhos tinha um vínculo com a escola Roberto Mange, e a vinda do professor foi exatamente para romper o “cordão umbilical”. Allegretti foi pretencioso assim que chegou, convocando uma coletiva de imprensa para falar qual era a proposta educacional do SENAI. Rapidamente a escola foi evoluindo, com autonomia e direção própria, incluindo Vinhedo no atendimento da área de trabalho. “Começamos a crescer de tal maneira que aquele prédio que nós tínhamos na Rua Americana ficou pequeno, aquele prédio foi a primeira experiência do SENAI em parceria no Estado de São Paulo, porque o SENAI sempre atua em prédios próprios”. Mesmo com o Centro de Treinamento, implantado na época do prefeito Arildo Antunes dos Santos, ainda era necessário ampliar a escola para atender as demandas da região. Foi na gestão de Vitório Humberto Antoniazzi que esse desafio começou a surgir.

Nova Escola SENAI de Valinhos

O projeto passou por várias tentativas de progresso, mas enfrentou vários desafios e empecilhos. Em 2009, quando houve a possibilidade de Allegretti aposentar – um dos primeiros da região a dar entrada no pedido, o diretor não queria abandonar seu posto. A partir disso, a resposta veio do diretor regional, indicando que ele permaneceria no SENAI com a condição de enfrentar um desafio: cuidar da mudança/repaginação do SENAI de Valinhos. “Na época eu tive um entendimento com o prefeito Marcos [Marcos José da Silva], com lideranças do CIESP [Centro das Indústrias do Estado de São Paulo] da região, e nós fomos ao SENAI – SP, na FIESP [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo], porque estava surgindo uma oportunidade de, se a municipalidade doasse um terreno, a contrapartida do SENAI ou do SESI seria a edificação.”, explica.  A partir disso, surgiu a ideia de utilizar o campo do Santo Antônio para o SENAI e o campo do Capuava para o SESI. Allegretti foi até à Câmara Municipal para fazer a defesa do projeto pedagógico – encabeçado por ele – da nova escola. A Casa de Leis aprovou uma lei municipal doando ao SENAI um terreno de 12 mil m². Depois disso o processo foi bastante longo. “No dia 12 de dezembro, lembro muito bem, de 2012, eu dei posse à construtora Fênix. E aí fizemos todo o planejamento da obra, uma obra grande; nós temos 8 mil m² de área coberta. A obra foi até agosto de 2015.”, relata. Até que, finalmente, em 10 de maio de 2018, aconteceu a inauguração da Escola SENAI de Valinhos.  “O que Valinhos e região têm hoje é de primeiro mundo, foram quase 100 milhões de investimentos nas duas casas [SENAI e SESI]”.

Nova Escola SENAI de Valinhos – inaugurada em 10 de maio de 2018 (Foto Reprodução)

Considerações finais

Allegretti diz que encarou esses 16 anos em Valinhos como uma missão, mas que fez tudo com muito amor, paixão e brilho nos olhos. “Eu sempre fiz de forma desprendida, chegando antes do horário e indo depois do horário, mesmo não registrando ponto há muito tempo, por que quando eu olhava no relógio eu falava ‘nossa, mas já? ’. Paixão pelo trabalho e paixão pelo SENAI”, completa. Sobre o futuro, conta que já está recebendo alguns convites, mas agora busca flexibilidade. “Eu trabalho com educação há quase 50 anos, então se eu não acreditasse nisso, não estaria lutando por isso. SENAI é uma escola de oportunidades, é educação para o trabalho e não somente formação. (…) Lá fora, mas com o coração aqui dentro, estarei torcendo por todos vocês, porque assim estarei torcendo pelo SENAI que aprendi a amar”, finaliza.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA