Com ou sem vítima é preciso sinalizar o local com triângulo e pisca alerta

Essa matéria esclarece algumas dúvidas e dá dicas de como evitar transtornos durante e após um acidente de trânsito

Infelizmente, os acidentes de trânsito fazem parte da rotina das cidades. Até mesmo os motoristas mais prudentes estão sujeitos a se envolverem em uma batida de carro. Mas o que fazer quando isso acontece? Com este intuito o JTV preparou um manual para esclarecer dúvidas e evitar futuros transtornos.

Retire o carro da via

Se não houve feridos e os veículos puderem se locomover, é preciso removê-lo imediatamente para um local que não obstruam o tráfego e não comprometa a segurança de outros veículos.

O Código de Trânsito Brasileiro determina multa de
R$ 130,16 e quatro pontos na CNH.  Caso o veículo não consiga sair do local devido a danos no impacto da batida, o motorista deve contatar o guincho da companhia de trânsito local ou da seguradora. É preciso sinalizar com o triângulo a uma distância de 30 metros para evitar nova colisão e ligar o pisca alerta.

Diálogo

Após sinalizar o local do acidente, é hora de conversar com o outro condutor para que os dois busquem um entendimento sobre a responsabilidade da batida sem a obrigatoriedade de acionar a Polícia Civil ou um órgão de trânsito. Neste momento a dica é que a pessoa tire fotos do local, dos danos e da posição dos veículos envolvidos no acidente e colha todos os dados dos condutores e se possível das testemunhas que viram a colisão. Em seguida, o condutor terá que comunicar o sinistro à seguradora.

Faça o B.O

O Boletim de Ocorrência não ser necessário para acionar o seguro, porém é mais prudente fazer o registro para preservação dos direitos. Algumas seguradoras exigem o boletim para pagar a indenização, pois é uma proteção caso a outra parte registre um B.O. com uma versão diferente. Não havendo vítimas, o registro pode ser feito em qualquer unidade da PM ou pela internet, e deve relatar os acontecimentos do acidente, os dados dos veículos, dos motoristas e das testemunhas, se houver.

Preste socorro

Se houver feridos é preciso chamar o socorro médico para atender os feridos e a polícia para fazer o registro da ocorrência e a perícia. A lei determina que nesses casos também seja feita a sinalização de segurança com o triângulo e o pisca-alerta, e aguardar a polícia para realizar o boletim de ocorrência. É importante, também, não movimentar os feridos, pois o atendimento inadequado pode deixar sequelas. Lembrando que a omissão de socorro é uma infração de trânsito gravíssima, penalizada com multa e suspensão do direito de dirigir. Além de ser um crime passível de detenção.

Mito

Com certeza você já ouviu dizer que quem bate na traseira é sempre culpado. Não, isso não é uma verdade absoluta, pois é preciso fazer uma análise do caso para apontar as responsabilidades.

O Código de Trânsito Brasileiro estabelece que nenhum condutor deverá frear bruscamente seu veículo, salvo por razões de segurança. Isto é, o motorista que freia subitamente sem que seja por motivo de segurança poderá ser responsabilizado pela colisão que recebeu na traseira. Mas, em certos casos, a decisão pode ser de culpa concorrente, sendo que ambos deram causa para o acidente. Há também situações em que o motorista muda repentinamente de faixa sem indicar de forma clara e com a devida antecedência, sendo assim possível afastar a culpa daquele que colidiu na traseira.

 Calma

Em situações de conflitos no trânsito é preciso manter a racionalidade, a objetividade, a calma e a educação na hora da conversa e argumentar com clareza e segurança. Mas, infelizmente, todo mundo sabe que nem sempre é isso o que acontece.

Quando o motorista apela para a agressividade, o melhor é evitar o confronto, coletar seus dados e seguir os trâmites legais para buscar seus direitos.

Seguro

É preciso ressaltar que um acordo feito sem a anuência da seguradora poderá não ser coberto pelo contrato. Sendo assim, os segurados não podem deixar de comunicar o sinistro, independentemente de quem for o culpado. Lembrando que quando o segurado aciona o seguro para conserto do seu próprio veículo é necessário o pagamento da franquia, conforme estabelecido na apólice. No atendimento a terceiros, a franquia poderá ou não ser cobrada de acordo com o previsto na apólice. Caso o responsável pela colisão não possuir cobertura para terceiros, a preciso fazer com que ele arque com os reparos. E não havendo acordo e as tentativas amigáveis se esgotarem, a parte lesada pode entrar com uma ação de indenização para receber o ressarcimento das despesas.

Mecânico & Funileiro

Quando procurar um funileiro e mecânico para os reparos de seu carro, faça orçamentos e avalie o estabelecimento, pois nem sempre o menor preço será sinônimo de qualidade. Lembre-se, o seu automóvel com ou sem seguro precisa ser recuperado 100% para voltar a circular com segurança e conforto para você e sua família. É preciso detalhar todas as peças e reparos para que o orçamento seja validado e aprovado por você e, aproveite este tempo que o carro ficará parado para fazer uma bela revisão.

Veja os nosso apoiadores

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

CAPTCHA