Unicamp e Fundação Casa unem forças para oferecer a jovens internos novas oportunidades de educação e transformação

A Unicamp, em sua busca pela inclusão, abriu 250 vagas em cursos preparatórios para vestibulinhos e vestibulares regulares voltados aos adolescentes da Fundação Casa (SP). Estas oportunidades são reservadas para os jovens internos que frequentam a 3ª série do ensino médio ou já a concluíram, desde que estejam cumprindo medidas socioeducativas e vinculados à Divisão Regional Metropolitana de Campinas (DRMC). O programa denominado “Colmeia,” iniciado em 2022 e que beneficiou 39 adolescentes, ganha uma nova dimensão com esse convênio com duração de cinco anos.

As aulas serão ministradas remotamente, de segunda a sexta-feira, das 19h às 21h, totalizando 29 horas mensais de instrução. Elas serão conduzidas por estudantes prestes a concluir a graduação, mestrandos e doutorandos.

O reitor da Unicamp destacou o compromisso da universidade com a inclusão, enfatizando que ações nessa direção, como a implementação de cotas raciais e o vestibular indígena, têm potencial transformador para o Brasil. Ele ressalta que a inclusão universitária é um dos desenvolvimentos mais impactantes no país, que pode moldar o futuro da nação.

João Veríssimo, presidente da Fundação Casa, vê na Unicamp um agente transformador da sociedade e alerta que, quando a sociedade não oferece oportunidades, o crime acaba preenchendo esse vazio.

A promotora Elis De Divitils Camuzzo enfatiza o potencial do projeto para abrir portas a esses adolescentes, citando a professora Silvia Santiago da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, que, em 2017, em uma visita a um centro de internação, se sensibilizou ao perceber o talento e o potencial desses jovens que tiveram suas oportunidades cerceadas.

Leia anterior

Primeiro dia do Enem 2023 registra 28,1% de ausências, mas ministro celebra aumento de inscritos

Leia a seguir

Brasil brilha nos Jogos Pan-americanos Santiago 2023 com a melhor campanha de sua história