Tempestades intensas podem se repetir nos próximos dois meses no Sudeste, alerta Inteligência Climática

Ocorrência de tempestades intensas no Sudeste, causada por um ciclone no Oceano Atlântico, pode se repetir nos próximos meses de novembro e dezembro, alerta a ignitia Inteligência Climática. A empresa destaca que, embora a primavera, especialmente em anos de El Niño, seja propícia para tempestades, a organização incomum das tempestades no último fim de semana é atípica. O meteorologista João Rodrigo de Castro aponta a atuação do ciclone como fator significativo, responsável não apenas pelas tempestades, mas também por ondas e ressacas no litoral. A previsão indica a possibilidade de repetição desses eventos nos próximos meses.

O cenário meteorológico do fim de semana, marcado por tempestades e ventanias, foi excepcional, segundo a ignitia Inteligência Climática. João Rodrigo de Castro, meteorologista e diretor da empresa, explica que a organização das tempestades, especialmente em linha de instabilidade, foi incomum e pode repetir-se durante a primavera. O calor e a atuação de um ciclone no Oceano Atlântico contribuíram para o ambiente favorável às tempestades. O resultado desse fenômeno foi sentido não apenas em São Paulo, mas também no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul.

A onda de tempestades gerou danos significativos, com aproximadamente 200 mil pessoas na Região Metropolitana de São Paulo ficando sem energia elétrica por vários dias. O fenômeno atingiu diversas áreas e se deslocou rapidamente, causando uma linha de instabilidade. A ignitia Inteligência Climática destaca a importância de monitorar esses eventos e reitera seu compromisso com previsões personalizadas para regiões tropicais, contribuindo para a tomada de decisões nos setores agrícolas e outros. A empresa, fundada em 2010, é pioneira em previsões específicas para climas tropicais.

Leia anterior

Vinhedo celebra a renovação cultural com a reinauguração do Centro Cultural da Vila João XXIII

Leia a seguir

Trio Macaxeira apresenta o projeto “Sentimentos” em Campinas