News

Menos da metade dos alunos brasileiros domina fundamentos básicos em matemática e ciências

O Brasil registrou estabilidade em suas pontuações nas áreas de matemática, leitura e ciências, conforme os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) divulgados recentemente pela OCDE. Embora o país tenha mantido uma média semelhante aos resultados de 2018, menos de 50% dos alunos atingiram o nível mínimo de aprendizado em matemática e ciências.

Vertical shot of pleasant looking European young businesswoman looks over some papaerwork, surrounded with modern electronic gadgets, works at home on comfortable sofa. People and work concept

No ano de 2022, as pontuações foram de 379 em matemática, 410 em leitura e 403 em ciências. Comparando com 2018, as pontuações foram, respectivamente, 384, 413 e 404. O relatório aponta que os resultados do Pisa permaneceram notavelmente estáveis ao longo do tempo.

O Brasil continua abaixo da média dos países da OCDE nas três disciplinas, registrando 472 pontos em matemática, 476 em leitura e 485 em ciências. A classificação internacional mostra o país no 64º lugar em matemática, 53º em leitura e 61º em ciências, atrás de outros países latino-americanos, como Chile, Uruguai, México e Costa Rica.

No âmbito da matemática, 27% dos estudantes brasileiros alcançaram o nível 2 de proficiência, considerado o patamar mínimo, enquanto apenas 1% atingiu os níveis 5 ou 6, os mais elevados. Em leitura, metade dos estudantes ficou no nível 2 ou acima, e em ciências, cerca de 45% chegaram ao nível 2.

O cenário global também reflete uma queda nas médias dos países da OCDE em leitura e matemática desde 2018, embora a média em ciências tenha permanecido estável. O relatório ressalta que a pandemia de covid-19 pode ter impactado o desempenho, mas não é a única causa, indicando que questões de longo prazo nos sistemas educativos também contribuem para a queda no desempenho.

Leia anterior

Exposição Fotográfica ‘Retratos da Etiópia’ no Museu Municipal

Leia a seguir

Expansão industrial ou preservação agrícola?