Região de Campinas enfrenta aumento na letalidade por leptospirose em 2023

Região de Campinas registra maior letalidade por leptospirose desde 2007, com sete mortes confirmadas em 2023, totalizando uma taxa de 20,59%. Abrangendo 42 cidades, os dados do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de Campinas revelam 621 casos notificados até novembro de 2023, dos quais 34 foram confirmados. A diretora do GVE, Márcia Pacóla, atribui a elevada letalidade a condições climáticas atípicas, ressaltando a exposição a enchentes e condições hídricas adversas.

Nos anos anteriores, a secretaria estadual de Saúde apresenta os seguintes números:

2022

– Casos notificados: 424

– Confirmados: 40

– Óbitos: 4

2021

– Casos notificados: 294

– Confirmados: 22

– Óbitos: 1

O diagnóstico da leptospirose ocorre por meio do contato com a urina de animais infectados, principalmente ratos, além do contato com água de enchentes, solo ou alimentos contaminados. Os sintomas iniciais incluem febre, dor de cabeça e dor no corpo, evoluindo para complicações graves em 10% dos casos, como insuficiência renal e sangramentos. O desafio reside no diagnóstico precoce devido à semelhança de sintomas com outras doenças comuns, como a dengue.

Leia anterior

“Clássico das Quebradas” promove partida solidária neste domingo

Leia a seguir

Grupo Adoráveis Vira-Latas organiza bazar de Natal