News

Desvendando as razões por trás do calor anormal com o Geógrafo Wellington Strabello

Mudanças climáticas e fenômenos atmosféricos explicam os extremos térmicos na região

Por Gabriel Previtale

Em uma entrevista, Wellington Strabello, geógrafo e professor de Geografia, oferece insights esclarecedores sobre a variação climática que resulta em temperaturas elevadas durante o mês de dezembro em algumas regiões. Atualmente lecionando Geografia nas redes pública e privada de Campinas e Valinhos, Strabello destaca diversos fatores que contribuem para esse fenômeno climático.

O professor explica que a localização geográfica desempenha um papel fundamental, uma vez que a região está situada em baixas latitudes, próximo à zona térmica intertropical. Além disso, ele ressalta a influência do El Niño, fenômeno associado ao aquecimento das águas superficiais do oceano Pacífico, e os impactos decorrentes desse fenômeno em todo o Brasil.

Strabello destaca a ação da massa de ar Tropical Continental, que, combinada com o El Niño e o aquecimento global, pode resultar em ondas de calor prolongadas, elevando as temperaturas a níveis incomuns para o período. Ele alerta ainda para as mudanças climáticas globais, que têm contribuído para a intensificação dos eventos climáticos extremos em todo o mundo. O geógrafo aborda também as diferenças entre áreas urbanas e rurais, explicando que a preservação de vegetação nas zonas rurais pode amenizar as temperaturas, enquanto as áreas urbanas, devido à pavimentação e falta de áreas verdes, experimentam as chamadas “ilhas de calor”.

Questionado sobre os impactos ambientais, Strabello destaca a redução da biodiversidade, a intensificação da poluição e o risco de incêndios em biomas mais secos. Ele salienta que os eventos climáticos extremos afetam diretamente a agricultura, prejudicando colheitas e comprometendo a soberania alimentar. Ao abordar as evidências científicas, o geógrafo cita um estudo da Organização Meteorológica Mundial, revelando que o planeta está enfrentando o ano mais quente dos últimos 123 mil anos. Ele reforça a importância de considerar o panorama global das mudanças climáticas, destacando o aumento das médias térmicas em todo o mundo nas últimas décadas.

Wellington Strabello ressalta que, de acordo com o recente relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), o aquecimento global, impulsionado por atividades humanas, já resultou em um aumento significativo na temperatura média global. Ele destaca que, embora dezembro seja historicamente um dos meses mais quentes na região, os extremos observados atualmente vão além do esperado, impactando setores cruciais da sociedade.

Sobre a matriz energética global, o geógrafo expressa sua preocupação com a falta de ações concretas para reduzir a dependência de combustíveis fósseis. Ele aponta para a necessidade urgente de transições em larga escala para fontes de energia mais sustentáveis, enfatizando que o atual modelo baseado em combustíveis fósseis é insustentável e prejudicial ao meio ambiente.

Finalmente, Strabello adverte sobre os desafios futuros, destacando a necessidade urgente de mudanças nas políticas públicas e na matriz energética global. Ele expressa preocupação com as consequências catastróficas das mudanças climáticas se não houver ações imediatas por parte dos governos, das empresas e da sociedade em geral.

Leia anterior

Edição de Natal/Sustentabilidade da Feira Arte na Praça

Leia a seguir

Cidade de Valinhos oferece atrações natalinas gratuitas