SP lança programa “São Paulo Sempre Alerta” para lidar com efeitos de emergências climáticas

Para este ano, as ações planejadas incluem oficinas de preparação para profissionais envolvidos na vigilância sanitária e epidemiológica nos municípios

Com o objetivo de fortalecer a infraestrutura preventiva e a segurança da população em situações de desastres naturais, o Governo de São Paulo lançou, no último dia 14, o Programa “São Paulo Sempre Alerta”. A iniciativa busca articular ações entre diversas pastas, com destaque para a Secretaria de Estado da Saúde (SES), que desempenha um papel crucial na capacitação de equipes e na prevenção de surtos de doenças decorrentes de eventos climáticos extremos.

Enchentes, enxurradas, estiagens e tempestades apresentam desafios significativos para a saúde pública, não apenas devido à sua magnitude, mas também pelos impactos socioeconômicos, ambientais e sanitários que acarretam nas comunidades afetadas. Os danos frequentemente agravam os problemas de saúde locais, exigindo a implementação de ações coordenadas.

Para 2024, a SES planeja expandir a capacitação para todos os municípios do estado

A SES concentra seus esforços no monitoramento de áreas afetadas, orientando sobre a comunicação de ocorrências de doenças e detecção de surtos para uma intervenção adequada e oportuna. Além disso, capacita profissionais para atuar nos locais de acolhimento das vítimas, implementa medidas de assistência à saúde mental e estabelece diretrizes para a saúde dos trabalhadores envolvidos na resposta a desastres.

Para este ano, as ações planejadas incluem oficinas de preparação para profissionais envolvidos na vigilância sanitária e epidemiológica nos municípios, incentivando a articulação com lideranças regionais e Defesa Civil. Haverá foco na resposta ágil a eventos extremos.

A SES também reforça os procedimentos logísticos para garantir o abastecimento contínuo de imunobiológicos durante o verão, incluindo vacinas e soros antitetânico e antiaracnídeo, para regiões frequentemente afetadas. A prevenção de doenças transmitidas por água, alimentos e lama contaminados é destacada, com fornecimento adicional de hipoclorito quando necessário.

Para 2024, a SES planeja expandir a capacitação para todos os municípios do estado, promover campanhas de sensibilização e orientação sobre doenças relacionadas a enchentes e inundações, bem como ampliar a preparação e resposta a emergências em saúde pública.

A resposta a eventos dessa natureza foi discutida no encontro do Consórcio de Integração dos Estados do Sul e Sudeste (Cosud), resultando em decisões conjuntas para fortalecimento dos sistemas de vigilância, estoque de suprimentos emergenciais e ações de suporte entre os membros do Cosud.

Leia anterior

A Inspiração de Neuma Pereira de Oliveira no Jiu-Jitsu

Leia a seguir

Museu Municipal de Valinhos passará por obras de manutenção e renovação