A jornada de Janaina Costa como trancista

Todo o trabalho compensa ao ver a felicidade no sorriso de outra pessoa

Luanna Dias

A autoestima é um componente fundamental do bem-estar emocional e mental de uma pessoa. Refere-se à avaliação positiva ou negativa que alguém tem de si mesmo. Cultivar uma autoestima saudável é essencial para enfrentar os desafios da vida e construir relacionamentos significativos.

Com o objetivo de auxiliar as pessoas a cultivar autoestima, Janaina Costa, de 35 anos, trabalha como trancista promovendo o amor e o cuidado próprio. Sua jornada começou por uma inspiração. A irmã de Janaina trabalha com tranças há 24 anos, então sempre teve em quem se espelhar.

“Sempre vi minha irmã trabalhando e me interessei pela profissão. Surgiu uma oportunidade de trabalho na escola de Samba Rosas de Ouro, em São Paulo, no ano de 2005. Foi quando eu fiz um curso voltado para atender pessoas da comunidade”, revelou Janaína sobre o início de sua paixão.

A trancista oferece uma grande gama de estilos para atender todos os gostos de seus clientes. Porém, atualmente a mais popular e versátil é a trança nagô, uma técnica muito utilizada devido sua possibilidade de criar vários modelos a partir dela, como tiaras, gladiadora, abacaxi e muitos mais.

A trancista se empenha em deixar seus clientes felizes com a própria aparência



Porém, mesmo com essa variedade, muitos clientes têm dúvidas de como optar pela melhor escolha. Por isso, Janaina está sempre preparada para auxiliá-los: “Eu analiso o modelo, que geralmente os clientes que escolhem, e fico sempre atenta. Principalmente quando há queixas de sensibilidade no couro cabeludo, oferecendo um método indolor e confortável”.

Antes do procedimento ser feito, o cabelo deve ser higienizado com shampoo e desembaraçado com condicionador, nenhum creme deve ser usado antes do procedimento. Para que as tranças sejam mantidas por mais tempo, alguns cuidados são essenciais. “Primeira lavagem com a cabeça inclinada para trás e não esfregar entre as tranças, pressionando a trança com bastante espuma do shampoo, dormir com a touca de cetim sempre, para não desalinhar os fios”, explicou Janaina.

Como todos os trabalhos, mesmo aqueles feitos com amor, têm uma certa apreensão. Para Janaina, atender às expectativas dos clientes é o que lhe traz ansiedade. Porém, tudo isso compensa quando vê a alegria com os resultados. “Eu sempre fico atenta quando o cliente se olha no espelho e vai surgindo aquele sorriso de “amei”. Isso, para mim, é valioso”, finalizou a entrevistada.

Leia anterior

39ª Festa da Uva e 10ª Expo Vinho de Jundiaí

Leia a seguir

Cetesb abre concurso e oferece 24 vagas para Campinas e região