Quinta, 22 Outubro 2020

Editorial e1419

Voltamos para trás. Por que?

Na segunda-feira (15), o prefeito Dr. Orestes Previtale Jr decretou o fechamento dos comércios não essenciais, alegando o posicionamento da vigilância epidemiológica que apontou a falta de conscientização da população que saíram pelas ruas literalmente para 'bater perna' e passear. Além, do fato de alguns comerciantes estarem burlando o horário de funcionamento estabelecido pelo decreto da flexibilização. Mas, o que mais pegou na hora da decisão foi o aumento da curva de casos de infectados pelo novo coronavírus na cidade, e falta de leitos para atender demandas.

Sim! A falta de leitos! Apesar de Valinhos ter dobrado o número de leitos. A culpa não é do comércio. Mas, também não é minha, não é sua e não é do prefeito. O fato é que a saúde pública é deficitária em todas as regiões brasileiras, e a situação piorou ainda mais com a chegada do vírus invisível, que vem colocando a saúde na UTI, e as pessoas em total desamparo econômico.

Vocês já pararam para pensar, quantas pessoas estão passando por necessidade? Quantas famílias estão chorando a perda do ente querido? Quantas pessoas em depressão e pânico? Quantas pessoas sem uma visão futurística positiva?

E o sistema de Saúde do país, a mercê de 'malucos' políticos! Malucos sim! Porque ao invés de estarem se preocupando com a gravidade dos casos, estão guerreando egos e debochando da cara de cada um de nós.

As contas de tudo isso que estamos atravessando está por chegar, enquanto isso muitos vão decretar falência, muitos vão estar sem emprego e as cidades totalmente quebradas. E tem 'maluco' preocupado em eleições municipais, usando a tribuna para 'defecar maldades'. Sinceramente, terra de ninguém!

Fala sério! Quem está preocupado com a real situação enfrentada? Quem está preocupado com você? Comigo? Com o comércio? Com o que o povo terá na mesa? Sinceramente! Ninguém.

Ou a população acorda e faz sua parte! Ou a população vai para sete palmos abaixo da terra. Não só de Covid, mas de fome, desespero e angústia.

A maioria dos brasileiros foram educados a não seguirem regras, e a darem um 'jeitinho' aqui e ali. E os políticos são reflexo desta sociedade, que trabalha como 'papagaio', repetindo o que a massa de manobra quer, e esquecendo de olhar o todo.

Quantas covas ainda teremos que abrir, para as pessoas se conscientizarem? Quantos comerciantes vão falir, para as pessoas se conscientizarem? Quantos quartos de UTI são precisos para atender a todos? Qual o número certo? Quem sabe? Apontar o dedo é fácil! Mas, a mega sena está acumulada... Quais são os números? É quem sabe com um jeitinho ali e aqui, a gente espante o vírus invisível! Não é verdade?

A única coisa a fazer é nos unirmos em uma corrente do bem, e deixar as disputas de lado. Porque para o vírus não importa o certo ou o errado; o melhor ou o pior; o tamanho do rombo ou não do seu partido; o número de vereadores que já virou palhaçada na Câmara, e... O vírus não escolhe ninguém, ele simplesmente existe!

Veja mais notícias sobre Editorial.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quinta, 22 Outubro 2020

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://jtv.com.br/

No Internet Connection