Domingo, 17 Outubro 2021

Depois de Araraquara, doze cidades do interior de SP vão decretar lockdown na quarta-feira

O lockdown em Araraquara durou 10 dias e levou à redução de 43% dos casos e 28% das internações, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde da cidade - Foto Reprodução

Depois de Araraquara, a prefeitura de São José do Rio Preto, localizada a 440 km de São Paulo, vai decretar um lockdown na cidade a partir da próxima quarta-feira (17). Outras 11 cidades da mesma região vão seguir o município, que é um polo econômico do interior paulista e referência no atendimento hospitalar, e também vão fechar endurecer regras de circulação.
A medida, adotada após uma reunião emergencial no último domingo (14), passará a valer à meia-noite (0h) de quarta-feira. As atividades não essenciais continuam fechadas, conforme prega a fase emergencial. Porém, a partir de agora, supermercados, mercearias e mercados de bairro permanecerão fechados e poderão atender apenas por meio de entregas.

Tomaram a mesma decisão os municípios de Bady Bassit, Sales, Ibirá, Nova Aliança, Nova Granada, Palestina, Mira Estrela, Icém, Guapiaçu, Monte Aprazível e Jales.

São José do Rio Preto está em terceiro lugar num ranking do governo paulista em número de casos. Até a última segunda-feira (15), a cidade contabilizava 52.595 infecções confirmadas e 1.227 óbitos em decorrência da covid-19 – o que representa uma letalidade de 2,4%. Somente São Paulo e Campinas aparecem à frente de Rio Preto nesse ranking.

Exemplo de Araraquara

Ao adotar a medida, São José do Rio Preto seguirá o exemplo adotado por Araraquara, que também viu os caos de covid-19 explodirem na cidade após a identificação da variante de Manaus entre os moradores. O aumento dos diagnósticos superlotou os hospitais da cidade.

O bloqueio total na cidade impediu a circulação de pessoas e previa multa de até R$ 6.000 a quem desobedecesse a regra. Durou 10 dias e levou à redução de 43% dos casos e 28% das internações, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Araraquara. Hoje, a ocupação é de cerca de 80% dos leitos de enfermaria e de 97% de UTI na cidade.

Atualmente, conforme dados do governo paulista, 63 municípios estão com 100% de ocupação nos leitos de UTI no estado.

RMC
O prefeito de Campinas propôs que as cidades da RMC adotassem medidas ainda mais restritivas em conjunto para frear avanço da Covid-19. Houve uma reunião entre os prefeitos, que ocorreu de forma virtual, para analisar cenário da pandemia na região metropolitana. Segundo prefeitura de Campinas, novo encontro foi marcado para sexta-feira.


O prefeito de Campinas (SP), Dário Saadi (Republicanos), propôs que as cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) adotem medidas ainda mais restritivas, como um lockdown, para conter o avanço de mortes, internações e casos de Covid-19.

Segundo a Agência Metropolitana de Campinas (Agemcamp), todos os municípios participaram.

Segundo a prefeitura de Campinas, a maioria dos prefeitos aceitou discutir a possibilidade, mas optou por avaliar por mais dois dias os efeitos da atual fase emergencial do Plano São Paulo, os dados epidemiológicos e os índices de isolamento.

O prefeito de Campinas, Dario Saadi - Foto PMC

Veja mais notícias sobre Nacional.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 17 Outubro 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://jtv.com.br/