Quarta, 26 Janeiro 2022

Prazo para contestação de Auxílio Emergencial negado vai até 24 de julho

Com a prorrogação do Auxílio Emergencial de 2021, muitos cidadãos ficaram na dúvida de como continuar participando. É necessário realizar novo cadastro ou atualizar os dados?

Assim como o programa iniciou nesse ano, as mesmas regras permanecerão. Nesse sentido, portanto, serão os mesmo valores, seguindo a mesma lógica do calendário de pagamento. Além disso, os critérios de recebimento também permanecerá igual.

Isso diz respeito, inclusive, à regra na qual se exige que o beneficiário tenha participado do Auxílio Emergencial de 2020. Dessa maneira, o programa deste ano não permitiu a entrada de novos participantes. Assim, a prorrogação seguirá a ideia de atender aqueles que já fazem parte. Isto é, aqueles que já recebem o benefício permanecerão recebendo normalmente, sem necessidade de atualização ou novo cadastro.
Contudo, é importante frisar que a Dataprev, empresa que administra os dados cadastrais do programa, faz uma análise de critérios frequentemente. Isso significa, portanto, que a cada rodada, o sistema automaticamente verificará aqueles que permanecem cumprindo os requisitos. Tal ação é possível com o cruzamento de informações nos bancos de dados governamentais.


 Os critérios permanecem os mesmos

Assim como no início do Auxílio Emergencial de 2021, os participantes precisam seguir cumprindo os seguintes requisitos:

  • Não ter vínculo de emprego formal ativo, ou seja, com carteira de trabalho assinada.
  • Não estar recebendo benefícios previdenciário, assistencial, trabalhista, de programa de transferência de renda federal, bolsa de estudo da Capes, do CNPq ou de outras bolsas de estudo concedidas por órgão público. Ou, ainda, não ser estagiário, residente médico ou residente multiprofissional.
  • Ter renda familiar mensal per capita inferior a meio salário mínimo ou renda familiar mensal total menor que três salários mínimos.
  • Morar no Brasil.
  • No ano de 2019, não ter: recebido rendimentos tributáveis superiores a R$ 28.559,70; a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive a terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00; recebido rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40.000,00; ou declarado o mesmo, como dependente.
  • Não estar preso em regime fechado ou ter seu CPF vinculado à concessão de auxílio-reclusão.
  • Ter mais de 18 anos de idade.
  • Não possuir indicativo de óbito nas bases de dados do governo ou ter seu CPF vinculado à concessão de pensão por morte.
  • Não estar com o auxílio emergencial de 2020 cancelado no momento da avaliação para as novas parcelas.
  • Ter movimentado os valores relativos ao auxílio emergencial de 2020.
Contestação pode ser feita até 24 de julho

Aqueles participantes do programa que sofreram com cortes em julho poderão contestar a decisão do Ministério da Cidadania e da Dataprev. Isto é, após a nova revisão da empresa, junto do governo, ela decide por excluir um beneficiário por falta de cumprimento de algum dos critérios.

Contudo, caso o participante entenda que a decisão foi equivocada e que permanece seguindo as regras, ele poderá apresentar uma contestação. Desse modo, ele poderá prosseguir com o procedimento até as 23h59 de 24 de julho, sábado. Além disso, o Ministério da Cidadania também indica que essas pessoas podem requerer uma nova conferência que se fundamente em dados mais atualizados.

Veja mais notícias sobre Nacional.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 26 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://jtv.com.br/