Quarta, 26 Janeiro 2022

O “Círculo de Amigos dos Patrulheiros de Valinhos” está de aniversário

A entidade sem fins lucrativos completa nesta sexta-feira (5), 51 anos desde que foi fundada. O movimento que surgiu na cidade de São Carlos (SP), em 1962, chegou a Valinhos em 1970, pelo então prefeito da época, Sr. Luiz Bissoto.

A ideia de fundar uma entidade que se preocupasse com o destino e a formação dos adolescentes foi do juiz de direito de São Carlos, o já falecido, Marino da Costa Terra. O Sr. Luiz Bissoto, conhecendo mais sobre o movimento procurou juntamente com uma equipe de trabalho como poderia implementar os patrulheiros em Valinhos e, após algumas visitas a municípios que já possuíam o projeto, fundou o então CAPV (Círculo de Amigos dos Patrulheiros de Valinhos).

A entidade tem como objetivo a proteção e promoção de jovens de 16 a 18 anos em situação de vulnerabilidade social e/ou risco social e pessoal, contribuindo efetivamente na formação de sua cidadania e na capacitação e integração desses jovens no mundo do trabalho. Para os Patrulheiros, "a ética e a moral são nossas principais bases. Seguimos nossa trajetória com respeito, disciplina, transparência e comprometimento na busca da excelência".

E para atender esses jovens o CAPV desenvolveu dois programas distintos: O "Conviva", destinado a adolescentes entre 13 e 15 anos, onde é oferecido o serviço de convivência e fortalecimento de vínculos para as crianças que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social decorrentes da fragilização de vínculos sociais, familiares, acesso restrito ou nulo a serviços públicos, pobreza, violação de direitos e outras situações de risco social e pessoal. Neste projeto o foco é a garantia do direito a convivência familiar e comunitária, capaz de oferecer um ambiente educativo e emocionalmente seguro aos seus usuários.

Este trabalho está organizado de modo a ampliar trocas culturais e de vivências por meio de oficinas arte culturais e de cidadania nas quais busca promover o acesso às diversas formas de expressões artísticas, o empoderamento e a autonomia dos adolescentes.

As atividades estão pautadas em metodologias lúdicas e culturais promovendo à interação, a aprendizagem, a sociabilidade e a convivência intergeracional e heterogenia.

Já o segundo projeto é o "Mundo do Trabalho", destinado a adolescentes entre 16 e 18 anos. Esse programa visa proporcionar aos adolescentes em situação de risco social a formação profissionalizante, orientação socioeducativa e lazer necessário para o desenvolvimento social, moral e psicológica, bem como a oportunidade de ingressar no mercado de trabalho.

Os colaboradores da entidade afirmam que, "contamos com uma equipe multidisciplinar composta por: assistente social, pedagoga e estagiária de pedagogia, psicólogo, bacharel em letras, advogada, graduandos em administração e direito. Tudo para que consigamos fazer o nosso trabalho da melhor forma possível. Nosso maior objetivo é inserir esses jovens no mercado de trabalho, proporcionar a eles a oportunidade de adquirirem experiência profissional, a continuidade dos estudos e também, a autonomia financeira, fazendo com que esses adolescentes consigam ajudar na renda familiar".

O "Círculo de Amigos dos Patrulheiros de Valinhos", também informa que, "o investimento dedicado a este jovem se reverte em benefícios a ele, à empresa e à sociedade, uma vez que ele está sendo introduzido na realidade empresarial. Também poderá se destacar como um futuro talento de acordo com o acompanhamento que receba de seu gestor e do desempenho que venha a apresentar. O processo de Aprendizagem traz conhecimento e autoestima ao jovem. Ele será um profissional adequado aos valores e missão propostos e, por isso, tem um grande potencial de crescimento na organização podendo ser alocado em novas funções e cargos, reduzindo processos seletivos e treinamento".

"Socialmente, também há benefícios. Em alguns casos, os jovens participantes são "resgatados" de más condições relacionadas à qualidade de vida. Um bom trabalho de desenvolvimento de aprendizes também tem o poder de colaborar na construção da personalidade moral e cultural deles, sendo que estimula valores como responsabilidade, disciplina, cidadania, respeito e integridade", finalizam os representantes da entidade.

Prefeitura de Valinhos não tem mais patrulheiros em seus departamentos

Historicamente sempre houve patrulheiros (carinhosamente chamados de guardinhas) nos departamentos da prefeitura de Valinhos, porém, neste ano não há.

O Jornal questionou a prefeitura que informou em nota que "Nesta sexta, a Prefeitura terá reuniões com as entidades assistenciais do município e, também, como o Patrulheiros, justamente para equalizar questões que envolvem o novo marco regulatório e, assim, ao mesmo tempo em que valoriza e respeito o trabalho importante dos Patrulheiros, há anos, na cidade, encontrar uma forma legal e que atenda estes requisitos para a efetividade da parceria com a Prefeitura".

Segundo uma fonte ouvida pelo JTV, "o estranho é que com o CIEE fez contrato e contratou aprendiz. Qual a diferença de fazer com o Patrulheiros? O DAEV possui Patrulheiros, sempre renova o contrato. Não é contrato dos projetos do CAPV, pois estes dependem do marco regulatório. É contrato de prestação de serviço de aprendiz!"

O Jornal Terceira Visão lamenta o imbróglio e vai acompanhar de perto a situação.

Veja mais notícias sobre Valinhos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Quarta, 26 Janeiro 2022

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://jtv.com.br/