Terça, 02 Março 2021

Tecnologias de reconhecimento facial medem temperatura e controlam acessos a empresas, condomínios e shoppings

FOTO DIVULGAÇÃO.

Indústria, comércio, centro de compra e condomínios comerciais estão redobrando os cuidados para evitar contato com superfícies e que pessoas sintomáticas adentrem o interior do prédio, como medida de segurança e proteção ao Covid-19. O uso de novas tecnologias vem ganhando atenção e tornando-se aliadas nesta batalha de prevenção à saúde.

O mercado conta com um grande número de equipamentos e soluções disponíveis, mas operando de forma isolada. A tendência é integrar os produtos de forma melhorar sua eficiência, precisão e a segurança de colaboradores, clientes e visitantes, evitando qualquer tipo de contato para controlar a disseminação do vírus.

Medidor de temperatura corporal de alta precisão, reconhecimento facial à distância, equipamentos de identificação nas portarias e alerta para casos de pessoas assintomáticas são algumas das tecnologias que ganham corpo no mercado.

Os condomínios Galleria Plaza e Galleria Corporate, em Campinas, estão se adaptando à nova realidade e investindo nestas tecnologias. A administração dos condomínios empresariais acaba de implantar parte dessas soluções integradas, instalando na entrada das duas torres equipamentos de comunicação de sistema de vídeo e controle de acesso por reconhecimento facial, que no futuro poderão vir a eliminar o uso de cartões.

Ao chegar aos prédios, funcionários de empresas instaladas no complexo e visitantes passam por um totem onde é feita a medição de temperatura e a indicação se ela está usando máscara. Isso é feito através do reconhecimento facial com até 1 metro de distância. Caso a temperatura esteja acima do estabelecido ou a pessoa esteja sem a máscara, luzes de LED se acendem, sinalizando que a pessoa não está autorizada a entrar nas dependências.

Segundo Júlio Ribeiro, sócio da RJP Automação, empresa especializada em segurança eletrônica com mais de 25 anos no mercado e responsável pelo projeto, instalação e integração de todo o sistema tecnológico no complexo, esta preocupação é uma realidade e tende a crescer ainda mais no Brasil.

Segundo ele, existem outras soluções mais sofisticadas, como é da Faculdade São Leopoldo Mandic, com grande fluxo de pessoas. O projeto encontra-se em fase final e deverá ser implantado em 30 dias. Neste caso, um sistema na entrada faz o reconhecimento facial e capta a temperatura, enviando as informações para um gerenciador, com tempo de resposta de quatro segundos. Caso seja apontada temperatura febril, a pessoa terá o acesso negado, sem nenhum contato.

"Esta solução mede a temperatura simultaneamente e com precisão de até 15 pessoas, além de identificar o nome e se ela está usando a máscara", conta Ribeiro. "Tanto o reconhecimento facial como a medição da temperatura são feitas com uma distância de até quatro metros, sem aproximação física, aumentando a segurança dos funcionários, alunos e visitantes.

De acordo com o diretor da RJP Automação, este sistema integrado, de maior investimento, é indicado para empreendimentos com um número alto de pessoas em circulação como shopping centers, supermercados e fábricas.


Veja mais notícias sobre Valinhos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Terça, 02 Março 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://jtv.com.br/

No Internet Connection