Domingo, 07 Março 2021

Uma missão de amor e de cidadania

Anélio Zanuchi, fundador da Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos

Com seis anos de atuação, o serviço Família Acolhedora de Valinhos ressalta a importância de ampliar o cadastro de novos integrantes para atuar na cidade. A Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos, responsável pelo projeto, em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social, relata demandas constantes e conta com o apoio de famílias da cidade.

Valinhos, que há décadas já apresentava demandas deste tipo de atuação, contou com intensas pesquisas para formatar o projeto e a aplicação, conforme lei vigente no País. Apesar da Lei 12.010/2009, que dispõe sobre o aperfeiçoamento da sistemática prevista para garantia do direito à convivência familiar a todas as crianças e adolescentes, segundo o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Brasil registra cerca de 48 mil crianças e adolescentes acolhidos, por estarem afastados temporariamente de suas famílias, e menos de 5% estão em famílias acolhedoras. Em Valinhos, a proporção também não se distancia destes dados.

Vai mudar a sua vida

Para Anélio Zanuchi, fundador da Casa da Criança e do Adolescente de Valinhos, o acolhimento familiar sempre foi necessário. Após muito trabalho, luta e apoio voluntário de pessoas como o Dr. Eduardo Garcia de Lima conseguimos instituir o Família Acolhedora em Valinhos. A família do nosso diretor José Narciso Sturaro, foi a primeira a experimentar a gratificante tarefa de acolher uma criança no seu lar. Atuar neste programa é cumprir uma missão de amor e de cidadania. Precisamos somente deste propósito sincero de fazer a diferença positiva na vida de outra pessoa e a sua também será tocada de forma incrível".

No projeto desde a idealização, Denise Foratto conta que conhecia e se emocionava com a demanda da cidade. Foi uma das primeiras pessoas a realizar a capacitação no Serviço Família Acolhedora e a receber crianças em casa. "As crianças chegaram em dezembro de 2015, como presentes de Natal. Eu, que até então morava sozinha, tinha tudo metodicamente organizado em casa, ganhei vidas, alegria e movimento no meu lar. Pude me descobrir como uma boa família acolhedora. Acordando à noite, cuidando da saúde, correndo para atendimentos médicos, terapias e assumindo todos os cuidados necessários.

"Nossas vidas ficaram imensamente mais felizes"

Denise conta que recebeu apoio de amigos e familiares, já acolheu três crianças, uma delas com dois anos, estava com diagnóstico de deficiência permanente, com cuidados, descobriram que se tratava de uma criança sem qualquer deficiência intelectual ou física. "Atualmente, a criança está com sua família estendida, a nossa relação foi intensa, e todos me consideram como uma espécie de madrinha. Com ou sem contato com os acolhidos, o meu sentimento é de amor incondicional, é direito deles seguirem a vida com suas famílias. Sei que pude contribuir com um capítulo essencial da história deles, e nossas vidas ficaram imensamente mais felizes. Esta certeza é o mais importante. Recomendo a todos essa inesquecível experiência", relata Denise Foratto.

O Serviço Família Acolhedora atua para capacitar os interessados, realiza acompanhamento integral e apoio 24 horas, com uma equipe coordenada com profissionais especializados, com psicóloga, assistente social e toda estrutura necessária para o funcionamento na cidade.

Os interessados em se tornar Família Acolhedora podem obter mais informações, acessando o site www.casadacriancadevalinhos.com.br , podem registrar o interesse em se inscrever nas capacitações por meio do e-mail: [email protected] ou através do telefone (19) 3829-3410 ou pelo WhatsApp (19)98367.0113. 

Veja mais notícias sobre Valinhos.

Veja também:

 

Comentários:

Nenhum comentário feito ainda. Seja o primeiro a enviar um comentário
Visitante
Domingo, 07 Março 2021

Ao aceitar, você acessará um serviço fornecido por terceiros externos a https://jtv.com.br/

No Internet Connection